Um centro de estudos projetado para a realização de pesquisas sobre aços avançados passou a operar no Centro Universitário FEI, Campus São Bernardo do Campo (SP), no início de agosto. A ativação da unidade chamada “Centro de Integridade Estrutural e Desempenho de Materiais” é parte de um trabalho realizado em parceria com a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), especializada na extração e beneficiamento de nióbio, que tem matriz em Araxá (MG).

 

FEI e CBMM formaram uma parceria que levou à inauguração de um centro de estudos sobre aços avançados

 

Em um espaço de 100 metros quadrados foram instalados equipamentos industriais para corte, conformação, furação e usinagem de metais como, por exemplo, serra, prensa, furadeira de bancada e torno (foto 1), bem como foram estabelecidas áreas onde são exibidas amostras feitas em aço, que se dividem em chapas e barras.

 

As máquinas e equipamentos serão utilizadas para a realização de ensaios de impacto (Charpy), tração, fadiga, mecânica da fratura, tratamentos térmicos, análises macro e micrográficas ou de difração de raios-X para avaliação de fases e tensões residuais, entre outros. Os corpos de prova metálicos serão usados nos testes.

 


Centro de estudos sobre aços avançados ativado no Grande ABC conta com tecnologia computacional para a realização de simulações

Além disso, o centro conta com uma área de 55 metros quadrados que é equipada com computadores, onde poderão ser conduzidas simulações de processos de corte e estampagem de chapas, tubos e perfis metálicos (foto 2). Esta área consiste em um laboratório digital onde também poderão ser processados os dados obtidos a partir da execução de ensaios, que servirão como base para análises neste sentido.


Em comunicado à imprensa, foi informado que a consolidação do centro de estudos ocorreu graças à colaboração mútua de pesquisadores e especialistas da área metalmecânica. Gustavo Donato, reitor da FEI, que lidera os grupos de trabalho, comentou mais sobre isso: “temos o objetivo de caracterizar de maneira detalhada o comportamento de materiais de alto desempenho e desenvolver projetos e métodos de avaliação de integridade estrutural que garantam a obtenção de estruturas seguras, eficientes e sustentáveis para os mais variados setores”. Ele complementou dizendo que “o foco está nos aços microligados ao nióbio, aplicados em tubulações que transportam, prioritariamente, gás e fluidos sob elevada pressão”. 


 

Mariana Perez de Oliveira, gerente do programa técnico da CBMM, deu alguns exemplos de como os trabalhos prosseguirão no centro de estudos recém-inaugurado: “na prática, conseguiremos reproduzir como as trincas podem se propagar em tubulações de gás, simular as consequências dessas falhas e compreender como evitá-las. Tudo em ambiente controlado, com o auxílio de recursos computacionais e racionalização de materiais. Ao comprovar as propriedades de aços microligados ao nióbio, testando-os até o limite de sua resistência, é possível não apenas oferecer ao mercado materiais com características superiores, mas também fomentar a melhoria das normas existentes”.

 


 

Pesquisa sobre manufatura aditiva 

 

Os profissionais que estão à frente do Centro de Integridade Estrutural e Desempenho de Materiais também pretendem conduzir pesquisas sobre manufatura aditiva e realizar a produção de protótipos, além de ensaios. Conforme foi divulgado à imprensa, uma das linhas de trabalho que estão no radar das partes envolvidas é o desenvolvimento e fabricação de órteses de reabilitação ortopédica, um projeto que contará com a participação de pesquisadores e alunos da FEI e que foi aprovado recentemente pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

 

 

 

Imagens: FEI/CBMM

 

 

Leia também:

 

Maquinário brasileiro para o mundo

 

Mobilidade elétrica traz oportunidades para o setor de aços

 

#CBMM #FEI #Aços #CCM



Mais Notícias CCM



Nova unidade da Igus vai promover a automação de baixo custo

Um centro de automação foi inaugurado pela empresa alemã em Joinville (SC) para promover a disseminação do uso de sistemas robóticos em tarefas industriais.

11/07/2024


Lecar não vai mais produzir automóveis elétricos. Agora, só híbridos.

Empresa brasileira vai redirecionar esforços antes dedicados à fabricação de carros elétricos para o desenvolvimento de veículos híbridos flex, com sistema de tração elétrico.

01/07/2024


BMW inaugura estamparia de última geração para produzir carros elétricos

Estamparia com equipamentos de última geração foi inaugurada na unidade norte-americana da montadora alemã, criando mais de 200 novos empregos em áreas técnicas e operacionais.

01/07/2024