No final de 2022, os estados da Paraíba e de Pernambuco deram um passo importante na regulamentação da logística reversa de embalagens em geral. Decretos estaduais publicados no período definiram diretrizes, estratégias e responsabilidades, acrescentando aspectos complementares à Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e estabelecendo regras regionais para a promoção das atividades de reciclagem, inclusive dos resíduos plásticos, com possíveis consequências positivas para o setor.

 

Logística independente em Pernambuco

 

No caso pernambucano, o Decreto Estadual nº 54.222, de 23 de dezembro de 2022, estabeleceu que fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de produtos acondicionados em embalagens devem estruturar e implementar sistemas de logística reversa, de forma independente do serviço público de limpeza urbana e de manejo dos resíduos sólidos. Além disso, o sistema ficará responsável por realizar um plano de comunicação com foco na conscientização dos consumidores e da sociedade sobre a importância das atividades relacionadas, bem como a indicação de locais em que a população possa fazer o descarte correto dos produtos.

 

Rastreabilidade na Paraíba

 

Já na Paraíba, o Decreto Estadual n° 43.346, de 29 de dezembro de 2022, colocou foco nas atribuições do verificador independente, visando evitar a comercialização de resultados, bem como a prática de atividades de emissão, compra ou venda de certificado de crédito de reciclagem, instituído pelo Programa Recicla+, em abril de 2022. O descumprimento da norma estadual, inclusive, torna nulos os certificados de crédito emitidos, invalidando todo o processo. A nova legislação da Paraíba coloca uma lupa sobre a rastreabilidade, estabelecendo inclusive a geolocalização dos operadores e receptores de materiais recicláveis.

 

Metas no Piauí

 

O Piauí havia sido o primeiro estado brasileiro a regulamentar a atividade, em janeiro de 2022, por meio do Decreto nº 20.498/2022, publicado em janeiro de 2022, antes mesmo do programa federal Recicla+, estabelecendo, por exemplo, a obrigatoriedade de apresentação de um plano de logística reversa (PLR) por fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de produtos acondicionados em embalagens, com a definição de percentuais para as metas de recuperação de embalagens, destacando ainda a possibilidade de cooperação entre empresas e o poder público na execução dessas metas.

 

Mato Grosso do Sul cria o Recicla+MS

 

No dia 17 de janeiro foi a vez de o Estado do Mato Grosso do Sul regulamentar seus sistemas de logística reversa de embalagens por meio do Decreto número 16.089, que substituiu o Decreto Estadual número 15.340, editado em dezembro de 2019. Em relação ao decreto antigo, a nova norma traz mudanças que alinham a diretriz estadual à Política Nacional de Resíduos Sólidos, a exemplo da instituição do crédito de reciclagem, o Recicla+MS, um título que vale dinheiro e será usado na comercialização de embalagens entre recicladores e entidades gestoras.

 

Resultados comprovados

 

Um ponto comum a todos os decretos é o fato de que as notas fiscais eletrônicas emitidas pelos operadores, oriundas das operações de comercialização de produtos e de embalagens recicláveis, só serão homologadas após a comprovação de sua veracidade, da autenticidade, da unicidade e da não colidência da nota fiscal eletrônica por verificador independente.

“Os governos, com a regulamentação de requisitos e diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos, estão transformando a gestão de resíduos em uma ferramenta de impacto social, ambiental e econômico”, afirmou o PhD em saneamento e recursos hídricos, Fernando Bernardes, que também é fundador da startup Central de Custódia, que atua como verificadora independente da cadeia de reciclagem de embalagens pós-consumo no Brasil.

Com pouco mais de um ano de operação, a start up já consolidou dados de mais de 800 mil toneladas de 770 operadores logísticos parceiros e lançou no ano passado o manual Sistema de Logística Reversa de Embalagens, com informações sobre o contexto regulatório, rastreabilidade e conformidade ambiental.


 

Imagem: Central de Custódia


 

Leia também:

 

Reciclagem avança por todo o Brasil

 

Reciclagem de PET em alta

 

#PNRS

#logísticareversa



Mais Notícias PI



Quadro de bicicleta de plástico reciclado é lançado na Alemanha

A Igus e a Advanced Bikes desenvolveram um quadro de bicicleta fabricado por injeção. Ele é feito em uma peça única, sem soldas, e é composto por plásticos de alto desempenho reciclados e fibras de carbono.

16/07/2024


Medição on-line assegura a qualidade do material durante o processamento

Fabricante suíça de instrumentos de medição desenvolveu um viscosímetro com módulo de medição que analisa polímeros fundidos durante a extrusão.

16/07/2024


Banco de dados reúne informações sobre plásticos recicláveis

Pesquisadores dos Estados Unidos criaram um banco de dados com informações sobre caracterização de polímeros que deve servir como base para estudos sobre a reciclagem de plásticos.

17/07/2024