Um relatório concluído recentemente pela AMI International, consultoria britânica com forte atuação no setor de materiais plásticos, mostrou que o mercado europeu de tubos para infraestrutura se comportou da mesma forma que muitos outros setores da economia: apresentou forte crescimento em 2018-2019, seguido por uma contração significativa em 2020, em decorrência da Covid-19, quando a economia da região registrou uma queda de 6,3% no PIB. A atividade de construção foi impactada inicialmente, mas se recuperou no segundo semestre de 2020, mesmo com as interrupções na cadeia de suprimentos que perduram até hoje.

O levantamento, no entanto, detectou oportunidades de crescimento na substituição de tubos 'tradicionais' (concreto e metal) pelos tubos poliolefínicos nas aplicações de escoamento por gravidade, bem como no desenvolvimento e comercialização de novos sistemas à base de materiais plásticos, projetados para fornecer melhores soluções em termos de custo/desempenho.

 

PVC resiste

Os tubos poliolefínicos estão ganhando participação de mercado em relação ao PVC, que ainda é o termoplástico predominante na fabricação de tubos para escoamento por gravidade, embora seja alvo de críticas pelo seu desempenho ambiental. De acordo com o relatório, a indústria ligada a este insumo tem reagido com o uso de matérias-primas de base biológica e com o emprego da polimerização baseada em hidrogênio verde. O PVC também estaria à frente de outros polímeros na Europa quando o assunto é a evolução dos volumes de material reciclado a cada ano, com o estabelecimento e realização de metas ambiciosas. Além disso, a sua indústria defende que os tubos de PVC podem ser reciclados várias vezes sem perda de propriedades técnicas.

 

Porém, a necessidade de resinas de alta pureza é a principal barreira para o aumento do uso de material reciclado na fabricação de tubos para escoamento por gravidade. A indústria está fazendo esforços de pesquisa e desenvolvimento com foco em soluções circulares, enquanto os tubos de pressão já estão posicionados como mais sustentáveis, apresentando vida útil superior a 50 anos e menor pegada de carbono.

 

Mudanças climáticas por trás da demanda

O aumento das chuvas fortes e as inundações ocorridas em vários países europeus nos últimos anos estão forçando os governos a aumentar os orçamentos para obras de saneamento e sistemas de proteção contra inundações, aumentando a demanda por tubos de escoamento por gravidade de maior diâmetro e impulsionando a modernização antecipada rede europeia de tubulações, que já é bem desenvolvida.

 

O relatório aponta também diferenças no crescimento da demanda de tubos entre os vários países e regiões da Europa. O crescimento está concentrado na Europa Central e Oriental, e a Polónia foi o mercado que apresentou crescimento mais rápido no período em análise. Até 2026, o mercado de tubos naquele país deverá ter crescido quase 30% em relação aos ddias atuais.

 

A edição atualizada do relatório Plastic Gravity Pipes in Europe 2022 faz parte de uma série abrangente, que inclui ainda os tubos plásticos para uso sob pressão na Europa em 2022 e os tubos plásticos de água quente e fria na Europa em 2022. São analisadas também as tendências do mercado, contribuindo para que empresas do setor possam tomar decisões com base em informações.


 

Foto: Shutterstock


 

Conteúdo relacionado:

 

Investimento no ramo de tubos e conexões de plástico

 

Novo marco do saneamento trará crescimento para o setor de plásticos



 

#Tubospoliolefínicos

#TubosdePVC



Mais Notícias PI



Evento sobre materiais plásticos acontece em SP

Palestras técnicas sobre plásticos de engenharia e compostos termoplásticos serão realizadas na Feiplar & Feipur.

16/07/2024


Embalagens de transporte serão temas de curso on-line

O Instituto de Embalagens está promovendo um treinamento sobre embalagens de transporte, que segue com inscrições abertas.

16/07/2024


Quadro de bicicleta de plástico reciclado é lançado na Alemanha

A Igus e a Advanced Bikes desenvolveram um quadro de bicicleta fabricado por injeção. Ele é feito em uma peça única, sem soldas, e é composto por plásticos de alto desempenho reciclados e fibras de carbono.

16/07/2024