Adalberto Rezende, da redação.

 

 

O Grupo GTEX, fornecedor de embalagens plásticas fabricadas por sopro com unidades nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Pernambuco, entre outros, pretende aumentar a sua produção de frascos e recipientes usados para o acondicionamento de diversos tipos de produtos como de higiene e limpeza, por exemplo.

 

Isso, de acordo com Antonio Matias Neto, diretor industrial da companhia, que forneceu informações à Plástico Industrial, abrange o investimento na modernização das linhas de sopro in house que atendem a GTEX atualmente.

 

Segundo o executivo, a empresa conta com linhas de sopro para a fabricação de embalagens de poli(tereftalato de etileno) (PET) e de polietileno de alta densidade (PEAD) em praticamente todas as suas unidades fabris, tanto linhas próprias quanto gerenciadas por empresas parceiras.

 

Ainda de acordo com Antonio, a aquisição de novos equipamentos de sopro está entre as pretensões da empresa: “Existem estudos para a aquisição de novas máquinas, tanto para a ampliação do nosso parque fabril quanto para a substituição de máquinas que já não atendem nossa demanda, que estão tecnicamente desatualizadas, por exemplo”.

 

Ele também forneceu dados sobre a capacidade produtiva da GTEX: “No caso das embalagens de PET, sopramos mais de 90% da nossa necessidade. Em se tratando das embalagens de PEAD, sopramos, internamente, cerca de 40% da nossa demanda, enquanto 60% é fornecido por empresas parceiras, sejam elas in house ou externas”.

 

 

Planos em andamento

Além disso, a GTEX inaugurou recentemente um centro de distribuição de produtos que está instalado em uma área total de 140 mil metros quadrados, em Guarulhos (SP), e prospecta a implantação de uma unidade fabril na mesma cidade. Segundo informações fornecidas à imprensa, o investimento na implantação do centro recém-inaugurado está na faixa de R$ 60 milhões.

 

Sobre este assunto, e também sobre o aumento da produção de embalagens sopradas, Talita Santos, CEO do Grupo GTEX – foto ao acima, à esquerda, junto com Domingues Santos –, comentou que o início das operações no novo centro de distribuição é uma das primeiras etapas de uma estratégia de expansão da companhia. Segundo ela, com base nos planos de instalação de uma nova unidade fabril, “teremos ganhos adicionais consideráveis, com aumento de 39% da área de produção na nova fábrica. A meta é ampliar em 85% o espaço onde serão instaladas as novas máquinas de envase, e 25% dos equipamentos de sopro”.

 

O contato com o Grupo GTEX pode ser feito pelo telefone 0800-727-2297 e pelo e-mail sac@gtexbrasil.com.br. 

 

 

Imagens: Grupo GTEX/Divulgação, Rawpixel.com, Freepik.


 

Mais notícias:

 

Barreira ao oxigênio em PET reciclado

 

Garrafas PET poderão ter conteúdo de fonte renovável

 

PETG feito de biomassa é foco de projeto conduzido pela UPM Biochemicals e Selenis

 

#GTEX #MáquinasdeSopro #Investimento #PlásticoIndustrial



Mais Notícias PI



A Lecar não vai mais produzir carros elétricos, mas sim híbridos.

Montadora brasileira vai redirecionar esforços antes dedicados à fabricação de carros elétricos para o desenvolvimento de veículos híbridos flex, com sistema de tração elétrico.

01/07/2024


Empresas de extrusão buscam atualização tecnológica

Ênfase no atendimento ao setor de embalagens e interesse por tecnologias habilitadoras da indústria 4.0 são tendências entre as empresas que processam materiais plásticos usando o processo de extrusão.

01/07/2024


Consumo de PVC aumentou entre 2022 e 2023

Pesquisa do IBPVC e da MaxiQuim revelou que o consumo aparente de PVC no País, nos dois últimos anos, passou de 1.024 para 1.122 toneladas.

25/06/2024