A Mirai Química (Barueri, SP), lançou recentemente o desmoldante interno RM-21, para o processo de rotomoldagem. O insumo é fornecido em pó e, adicionado ao polietileno na fase de extrusão ou na resina micronizada, na proporção de 0,3%, simplifica a desmoldagem de peças rotomoldadas de qualquer dimensão. Isento de solvente, o produto pode ser adicionado usando-se misturadores do tipo dry blend ou manualmente.


 

Satio Okamoto, gerente comercial da empresa, explicou que o desmoldante interno é uma alternativa às versões líquidas, que precisam ser aplicadas na superfície dos moldes, consumindo mais tempo de processo e mão -de-obra. Além disso, os desmoldantes líquidos, que normalmente são à base de solvente, são inflamáveis e emitem compostos orgânicos voláteis (VOCs) durante a sua manipulação, exigindo a proteção respiratória dos colaboradores. “Os desmoldantes à base de água, por sua vez, exigem cuidados com relação à oxidação da superfície dos moldes e provocam deformações nas peças”, comentou Satio, acrescentando que os desmoldantes para aplicação na superfície, em qualquer das suas versões, formam ainda uma barreira entre a peça e o molde, que compromete o brilho das peças, ainda que o molde esteja perfeitamente polido.

 

A opção pelo uso do desmoldante interno, segundo ele, resulta tanto em maior produtividade quanto em um ambiente mais seguro para a saúde dos operadores. A manutenção do brilho das peças também é assegurada, de acordo com o entrevistado, que citou o caso de um transformador que obteve 22% de aumento na produtividade como uso do RM-21.

 

As empresas de rotomoldagem que preparam as suas formulações podem adicionar ao desmoldante em pó diretamente a elas, seguindo as orientações da empresa fornecedora. No caso de transformadores que trabalham com grandes quantidades de material, é possível solicitar às distribuidoras das quais eles compram resina micronizada, que incluam o produto nas suas formulações.

 

Tendência mundial

 

Satio comentou ainda que o uso de desmoldante em pó para peças rotomoldadas já é bastante disseminado entre empresas no Japão e na Europa, e que a Mirai está trazendo a novidade para o mercado brasileiro. Para isso, já possui esquema de distribuição para comercialização em todo o País, a partir das transportadoras que servem as empresas do mercado de rotomoldagem com base em polos logísticos localizados em Guarulhos e Osasco (SP).

 

Foto: Shutterstock

 

Conteúdo relacionado:

 

Aumenta a demanda por aditivos retardantes de chama

 

Alta da demanda por aditivos e cargas para plásticos é tópico de estudo


Plásticos estão tornando viáveis os projetos de usinas fotovoltaicas flutuantes

 

 

#desmoldantes



Mais Notícias PI



A Lecar não vai mais produzir carros elétricos, mas sim híbridos.

Montadora brasileira vai redirecionar esforços antes dedicados à fabricação de carros elétricos para o desenvolvimento de veículos híbridos flex, com sistema de tração elétrico.

01/07/2024


Empresas de extrusão buscam atualização tecnológica

Ênfase no atendimento ao setor de embalagens e interesse por tecnologias habilitadoras da indústria 4.0 são tendências entre as empresas que processam materiais plásticos usando o processo de extrusão.

01/07/2024


Consumo de PVC aumentou entre 2022 e 2023

Pesquisa do IBPVC e da MaxiQuim revelou que o consumo aparente de PVC no País, nos dois últimos anos, passou de 1.024 para 1.122 toneladas.

25/06/2024