O instituto alemão de pesquisas de mercado Ceresana divulgou a quarta edição de seu relatório sobre o mercado global de dióxido de titânio (TiO2), que pode ser adicionado como pigmento à formulação de resinas termoplásticas para produzir efeito de cor branca.

 

Mercado mundial de pigmentos brancos para plásticos é tema de estudo feito por instituição alemã

O estudo  traz dados que indicam que o uso deste material está ganhando cada vez mais espaço em áreas de desenvolvimento de agentes químicos para proteção de materiais contra a radiação ultravioleta. Isso inclui o ramo de revestimentos poliméricos e de fabricação de itens para usinas fotovoltaicas.

 

De acordo com a entidade, a edição atualizada do relatório Market Study: Titanium Dioxide (Ti02) – World Report (4th edition) foi dividida em quatro partes, as quais tratam de diferentes tópicos relacionados à produção, aplicação e consumo de dióxido de titânio no ramo de plásticos.

 

Resistência aos raios UV

 

O estudo mostrou que a principal aplicação do dióxido de titânio consiste na formulação de revestimentos, salientando que algumas das propriedades apresentadas pelo material, como alta resistência à radiação UV e maior índice de refração em relação a outros materiais, contribuem para que ele tenha destaque nesse segmento.

 

Também foi constatado que o consumo de dióxido de titânio no ramo de plásticos nos últimos anos foi bem expressivo. Em 2020, a cadeia produtiva deste setor na região Ásia-Pacífico correspondeu a aproximadamente 49% da demanda global, ao passo que a América do Norte representou 18% e a região da Europa Ocidental 14,4%.

  

Outros dados sobre pigmentos

 

A instituição divulgou outras informações sobre o conteúdo obtido por meio do estudo sobre o mercado global de dióxido de titânio. Ele é composto por dados referentes à cadeia produtiva de pigmentos baseados em TiO2, abrangendo alguns materiais de origem como ilmenita e rutilo, assim como intermediários: escória de titânio e rutilo sintético.

 

Perspectivas para o segmento até o ano de 2030 também constam do levantamento, que traz ainda informações sobre os principais players e estatísticas referentes à importação e exportação de pigmentos brancos para plásticos.

 

Mais informações podem ser obtidas aqui.

 

 

Imagem: Ceresana

 

 

Mais conteúdo sobre a área:

 

Ligas metálicas de alta resistência para manufatura aditiva chegam ao Brasil

 

Filamento de PLA simula aparência e textura de grama ou musgo

 

#PigmentosBrancos #Pesquisa #Mercado #PI

 

 


 



Mais Notícias PI



A Lecar não vai mais produzir carros elétricos, mas sim híbridos.

Montadora brasileira vai redirecionar esforços antes dedicados à fabricação de carros elétricos para o desenvolvimento de veículos híbridos flex, com sistema de tração elétrico.

01/07/2024


Empresas de extrusão buscam atualização tecnológica

Ênfase no atendimento ao setor de embalagens e interesse por tecnologias habilitadoras da indústria 4.0 são tendências entre as empresas que processam materiais plásticos usando o processo de extrusão.

01/07/2024


Consumo de PVC aumentou entre 2022 e 2023

Pesquisa do IBPVC e da MaxiQuim revelou que o consumo aparente de PVC no País, nos dois últimos anos, passou de 1.024 para 1.122 toneladas.

25/06/2024