Garantir a segurança de profissionais que atuam na operação e manutenção de máquinas industriais situadas em oficinas integradas aos espaços fabris é uma das premissas das empresas de manufatura.

 

As oficinas geralmente consistem em espaços fabris compostos por equipamentos com idade avançada, os quais, em muitos casos, deixam de fazer parte de linhas de produção por serem dotados de tecnologia e sistemas de segurança que se tornaram obsoletos com o passar do tempo.

Produtos para modernizar sistemas de segurança de máquinas industriais são fornecidos no Brasil

Entretanto, as companhias encontram utilidade para esse tipo de maquinário quando os destinam a trabalhos específicos como fabricação de protótipos e testes de corpos de prova – try-out de peças feitas em plástico virgem ou reciclado, por exemplo –, além de produção de ferramentas, dispositivos e componentes para moldes e matrizes, ou para máquinas que executam processos produtivos em grande escala – como injetoras e extrusoras.

 

Mas para que isso ocorra em conformidade com as atuais diretrizes operacionais, se faz necessária uma modernização dos sistemas de segurança de máquinas instaladas nessas oficinas. Esse tipo de processo pode requerer a implantação de sensores, dispositivos projetados para emitir alertas sonoros/luminosos e enviar informações à central de comando de equipamentos fazendo com que o seu funcionamento seja interrompido, além de barreiras protetivas que impeçam o acesso a áreas em risco.

 

A Pilz, com unidade fabril em Indaiatuba (SP) e matriz na Alemanha, fornece linhas de produtos indicados para a atualização de sistemas de segurança de máquinas antigas. A empresa oferece séries de equipamentos que consistem em chaves e sensores de segurança, que podem ser utilizados, respectivamente, para monitorar e bloquear a operação de partes mecânicas móveis, assim como botões de emergência para painéis de operação.

 

O portfólio conta ainda com Controladores Lógicos Programáveis (CLPs) e controle de permissão de operação que, segundo informações da companhia, pode ser utilizado para restringir o uso de equipamentos somente a colaboradores autorizados, e também relés de segurança.

 

“Muitas das máquinas operatrizes que ocupam as oficinas das empresas, por não integrarem o parque fabril produtivo, não são priorizadas no que se refere à segurança. Perigosas, elas podem causar acidentes graves e até o óbito do operador”, comentou Leandro Henrique, engenheiro especialista em sistemas de segurança de máquinas que faz parte do time da Pilz no Brasil.

 

De acordo com ele, geralmente essas máquinas não são consideradas em processos de fiscalização realizados por órgãos públicos: “Isso se deve principalmente à pouca ou nenhuma fiscalização por parte da Secretaria do Trabalho, até porque são áreas externas ao parque fabril produtivo, e acabam passando despercebidas pelos fiscais na maioria das vezes”.

 

Leandro salientou que entre os equipamentos instalados em oficinas mecânicas internas que representam maior periculosidade estão esmeris, máquinas retificadoras, tornos mecânicos e fresadoras. “Infelizmente, a busca por sistemas de segurança para esse tipo de máquina ocorre somente após um grave acidente ou interdição por meio de fiscalização”, concluiu.

 

Prestação de serviços 

A Pilz também presta serviços de consultoria para a modernização de sistemas de segurança de maquinário antigo. Em comunicado à imprensa, foi informado que a implantação de sistemas é feita com base em normas nacionais e internacionais, e que algumas de suas etapas consistem em apreciação de riscos e conceitos de segurança, inspeção do projeto de componentes mecânicos e de dispositivos elétricos, assim como a realização da implantação propriamente dita e de testes para validação das máquinas.

 

Mais informações podem ser obtidas no site da empresa. Os guias da revista Plástico Industrial trazem dados sobre a oferta de sensores industriais e de serviços de reforma e retrofitting de máquinas e periféricos para essa área. A seção artigos técnicos contém trabalhos cujos temas abrangem esses e outros assuntos. 


 

Imagem: Pilz

 

Conteúdo relacionado:

A indústria 4.0 no cotidiano da manufatura

Chillers modulares dão flexibilidade ao projeto de linhas de produção


 

#Pilz #ModernizaçãodeMáquinas #SistemasdeSegurança #PlásticoIndustrial 


 



Mais Notícias PI



Pesquisa indica que investir em tecnologia é um caminho para enfrentar a crise

CNI divulgou estudo que mostrou que 88% das indústrias que adotaram o uso de tecnologia durante a pandemia obtiveram bons resultados.

22/10/2021


Equipamento usa microssondas para inspecionar tubos plásticos

Escâner 3D faz medição sem contato e pode detectar trincas ou porosidade em superfícies internas e externas de tubos.

08/10/2021


Robôs para injetoras chegam ao Brasil

Empresa passou a comercializar autômatos auxiliares indicados para processos de injeção de plásticos.

05/10/2021