A alemã Trumpf (Barueri, SP) anunciou estar conduzindo os trabalhos de um um consórcio denominado de:karb, junto com a thyssenkrupp Materials Services e o Instituto Fraunhofer para Engenharia de Manufatura e Automação (Fraunhofer Institute for Manufacturing Engineering and Automation, IPA). O objetivo é descobrir maneiras de reduzir as emissões de carbono no processamento de chapas metálicas e criar uma plataforma on-line de acesso livre, que as empresas possam usar para determinar com precisão a pegada de carbono de qualquer componente, um dado que está se tornando um importante fator de competitividade.

 

O projeto foi lançado em junho e terá duração de três anos, contando com 8,3 milhões de euros em recursos do Ministério Federal de Assuntos Econômicos e Ação Climática da Alemanha (BMWK).

 

A plataforma on-line proposta servirá para que as empresas identifiquem quais medidas implementadas durante as etapas da produção resultarão na maior redução de emissões de carbono. Para isso, a Trumpf e a thyssenkrupp Materials Services vão conectar os seus próprios sistemas de TI à plataforma. “Para reduzir as emissões, as empresas devem primeiro saber o tamanho de sua própria pegada de carbono”, explicou Sebastian Smerat, líder de projeto pela thyssenkrupp Materials Services. “A nova plataforma online vai dar a transparência necessária para isso. Por sua vez, isso simplificará o cumprimento de regulamentos e lançará as bases para uma economia circular”.

 

Usando dados da máquina e da produção, os parceiros do projeto poderão determinar o impacto de medidas destinadas a aumentar a sustentabilidade. Isso inclui, por exemplo, a racionalização da produção. “Uma característica específica do de:karb é que ele visa reduzir as emissões de carbono fazendo otimizações ao longo de toda a cadeia de valor, e para isso, a inteligência artificial (IA) e a aprendizagem de máquina (machine learning) terão um papel central”, disse Marco Huber, líder de projeto da Fraunhofer IPA.

 

“A digitalização é a chave para mitigar o impacto climático da indústria, e juntamente com nossos parceiros de projeto, temos tudo o que é necessário para tornar o mundo do processamento de chapas metálicas mais sustentável”, complementou Jens Ottnad, lider do projeto pela Trumpf.

 

 

Suporte de IA

 

De acordo com o relatório da BMWK sobre ação climática, a produção de aço e chapas metálicas é responsável por cerca de um quarto de todas as emissões industriais na Alemanha. Em particular, a produção da matéria-prima consome grande quantidade de energia. Uma prioridade do projeto será, portanto, melhorar a utilização de materiais na produção. Para isso, a Trumpf está trabalhando em novas tecnologias de agrupamento que usam IA para aumentar o número de peças que podem ser cortadas em cada chapa de metal.

 

Ao mesmo tempo, o projeto terá como foco a otimização de programação da produção. A Fraunhofer IPA está analisando como a IA pode considerar as questões ecológicas durante o processo de produção. Isso pode envolver o agendamento de etapas com uso intensivo de energia, como processamento a laser, para horários em que o máximo de eletricidade proveniente de recursos renováveis esteja disponível. Além disso, tais estratégias de produção destinam-se a dar às empresas a liberdade de processar pedidos com flexibilidade.

A tarefa da thyssenkrupp Materials Services é coordenar os fluxos (de materiais, de valor e de dados) por meio de uma plataforma digital que ainda será desenvolvida. Isso fornecerá rastreabilidade total dos materiais de entrada e suas características. O uso de padrões uniformes garantirá a conectividade necessária.

 

O projeto inclui também as consultorias de gerenciamento AEC e SES-Ingenieure, a Universidade de Baden-Wuerttemberg (DHBW), a start-up de IA Nash e a processadora de chapas metálicas H.P. Kaysser.

 

 

Fotos: Trumpf

 

 

Leia também:

 

Digitalização aplicada ao curvamento de perfis

 

Feixes de laser programáveis levarão a máquinas mais eficientes

 

 

 

 

 

 



Mais Notícias CCM



Nova unidade da Igus vai promover a automação de baixo custo

Um centro de automação foi inaugurado pela empresa alemã em Joinville (SC) para promover a disseminação do uso de sistemas robóticos em tarefas industriais.

11/07/2024


Lecar não vai mais produzir automóveis elétricos. Agora, só híbridos.

Empresa brasileira vai redirecionar esforços antes dedicados à fabricação de carros elétricos para o desenvolvimento de veículos híbridos flex, com sistema de tração elétrico.

01/07/2024


BMW inaugura estamparia de última geração para produzir carros elétricos

Estamparia com equipamentos de última geração foi inaugurada na unidade norte-americana da montadora alemã, criando mais de 200 novos empregos em áreas técnicas e operacionais.

01/07/2024