A utilidade de materiais plásticos no combate à proliferação de microrganismos como o causador da Covid-19 continua a ser comprovada por meio do desenvolvimento de formulações poliméricas virucidas. A utilização de aditivos com propriedades que podem dificultar a propagação dessa e de outras doenças ganhou lugar entre os principais fatores considerados em projetos para essa área.

 

Aditivo antiviral é aplicado no solado de calçados Dakota

 

O uso de agentes desse tipo já é comum na fabricação de equipamentos de proteção individual como, por exemplo, máscaras antimicrobianas. Sua aplicação também abre caminho para a inserção de polímeros que são tema de estudo de instituições de pesquisa e ensino como o grafeno, entre outros materiais que estão atraindo os olhares dos transformadores de plásticos.

 

No que diz respeito à confecção de solados para calçados que apresentem características antivirais, o que também está em andamento no Brasil, uma empresa situada no município de Farroupilha (RS), a Concept Chroma, desenvolveu um aditivo para formulações de plásticos capaz de inibir a proliferação de vírus e bactérias.

 

Com o nome de Vironanoblock, o concentrado tem eficácia comprovada de aproximadamente 99% contra o novo coronavírus , de acordo com informações da empresa, certificação que foi obtida conforme os critérios referentes às normas ISO 21702:2019, ISO 18 184, ISO 21702, AATCC 100, JIS L 1902 e ASTM E2149.

 

Augusto Malheiros Fernandez, diretor comercial da companhia, explicou como o aditivo atua na formulação de plásticos e elastômeros. “O produto, à base de prata, atrai os vírus com carga oposta fazendo com que eles se liguem aos grupos de enxofre presentes na superfície da glicoproteína viral. Isso impede a ligação dos microrganismos à célula hospedeira, bloqueando sua replicação e destruindo-os”.

 

No entanto, ele reforçou que é necessário atentar para a quantidade de aditivo a ser inserida na formulação de produtos para se obter uma homogeneidade no desempenho antiviral.

 

Recentemente, o aditivo passou a ser incorporado no solado de uma linha de calçados da marca Dakota, a qual tem o nome de “Protect”. Em divulgação à imprensa foi afirmado que a atuação do concentrado no solado não pode ser comprometida mesmo se os calçados forem submetidos à lavagem e/ou outros formas de higienização.

 

Calçados antivirais grças a aditivo desenvolvido no Brasil

 

Ainda segundo Augusto, o Vironanoblock é indicado à confecção de produtos feitos a partir de polímeros como máscaras, luvas, protetores auriculares, entre outros tipos de EPIs. Ele também disse que a empresa está aberta a propostas de parcerias para o desenvolvimento de produtos com propriedades virucidas.

 

Mais informações podem ser obtidas aqui. E também em nossos guias, que trazem dados sobre aditivos e cargas para plásticos.

 

 

Fotos: Modelos de calçados cujo solado passou a ter um aditivo antiviral em sua composição, desenvolvido pela Concept Chroma.

 

Conteúdo relacionado:

Máscara antimicrobiana de TPE é desenvolvida no Brasil

Como a pandemia está estimulando a criação de novos produtos plásticos


 

#ConceptChroma #Dakota #AditivoAntiviral #Plásticos #Covid-19




Mais Notícias PI



Documento anual do setor de plásticos

Associação Brasileira da Indústria do Plástico disponibiliza anuário com os dados sobre a indústria do plástico obtidos em 2019.

27/10/2020


Aditivo à base de zinco protege superfícies plásticas

Empresa lança aditivo que impede a disseminação de vírus, bactérias e fungos em superfícies plásticas

27/10/2020


Estudo analisa o impacto da Covid-19 sobre o balanço das empresas

Levantamento realizado pelo Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) junto a 240 empresas de capital aberto mostra as consequências da pandemia de Covid-19 sobre o seu desempenho e recuperação da rentabilidade.

20/10/2020