Hellen souza, da redação

 

 

À medida que as águas baixam, as recentes inundações no Rio Grande do Sul, passam a dividir espaço com outros assuntos no noticiário geral, mas as consequências das cheias serão sentidas pelos próximos anos e a reconstrução será constituída por várias e distintas etapas.

 

Uma delas é o gerenciamento dos resíduos resultantes das enchentes. Toneladas de produtos duráveis como eletrodomésticos, eletroeletrônicos e automóveis empilhados e contaminados pelas águas precisarão ser desmontados, triados e tratados, de modo a permitir a recuperação sustentável das áreas afetadas.

 

Três instituições se uniram recentemente para equacionar o problema e buscar parceiros especialistas no gerenciamento desses resíduos, dentre os quais podem estar empresas recicladoras de materiais plásticos que desenvolveram conhecimento sobre a recuperação de filmes plásticos contaminados, espumas e poliestireno expandido (EPS), por exemplo.

 

As instituições envolvidas são a SOS RS, iniciativa do Governo do Estado do Rio Grande do Sul; o Pacto Alegre, que promove a realização de projetos para a cidade de Porto Alegre, e a 4 Hábitos, que tem como objetivo zerar a destinação de lixo para aterros.

 

Ana Arsky, CEO da 4 Hábitos, explicou que o propósito e o desafio das instituições envolvidas é promover a limpeza das casas e dos locais públicos de forma sustentável, pensando em como destinar e aproveitar os resíduos. “Calcula-se que o volume de veículos sucateados é 10 vezes maior do que o volume total descartado no Brasil inteiro no período de um ano”, comentou Ana, enfatizando a necessidade de uma solução que envolva a melhor destinação possível para eles. Placas solares conectadas precisarão ter os seus riscos elétricos avaliados, assim como postos de gasolina e tantas outras instalações que, mesmo após o escoamento das águas, requerem cuidados especiais.

 

Assim, o grupo está reunindo voluntários para mapear as ações envolvendo a recuperação e descontaminação de materiais como plásticos, metais e madeira, assim como planejar a mitigação dos riscos decorrentes das mudanças climáticas.

 

Em busca de especialistas

 

A iniciativa já conseguiu reunir cerca de 10 mil voluntários para auxiliar com orientações a respeito da triagem de materiais, ajuda na limpeza, catalogação de resíduos, entre outras atividades. Há espaço, porém, para pessoas e empresas que tenham experiência na transformação de resíduos em materiais para a construção civil, por exemplo.

Profissionais e empresas que possuam conhecimento sobre como recuperar materiais a partir de fios e cabos; entulho; espelhos e vidros; estofados contaminados (espumas); EPS (isopor) contaminado de alimentos; itens plásticos; papel e papelão; material cerâmico; mobiliário; pisos e revestimentos em geral; sucata de ferro; tecidos e outros produtos podem preencher um formulário disponível no link
https://bit.ly/valorizacao_residuo1. Representantes da iniciativa retornam o contato em, no máximo, 24 horas.

 

Empresas que disponham de equipamentos ociosos e queiram cedê-los em comodato também podem entrar em contato pelo mesmo link. A cessão de equipamentos para diferentes localidades poderá descentralizar e acelerar o processamento dos resíduos.

Também participam da iniciativa as instituições Hélice Consultoria, da UFRGS; Meu lar de volta e POA Sem Lixo, criada no âmbito do Pacto Alegre.
 

Ana Arsky vai participar como palestrante do XII Seminário Reciclagem e Valorização de Resíduos Sólidos, que acontece em São Paulo, no próximo dia 13 de junho.

 

 

__________________________________________________________________________________

Assine a PI News, a newsletter semanal da Plástico Industrial, e receba informações sobre mercado e tecnologia para a indústria de plásticos. Inscreva-se aqui.


___________________________________________________________________________________



 

Imagem: Vistoria na cidade de Lajeado (RS). Divulgação da Fundação Estadual de Proteção Ambiental/RS (Fepam)

 

 

 

Leia também:

 

Os impactos da situação no Rio Grande do Sul na cadeia do plástico

 

Coleta de resíduos plásticos avança no Sul do Brasil



Mais Notícias PI



Quadro de bicicleta de plástico reciclado é lançado na Alemanha

A Igus e a Advanced Bikes desenvolveram um quadro de bicicleta fabricado por injeção. Ele é feito em uma peça única, sem soldas, e é composto por plásticos de alto desempenho reciclados e fibras de carbono.

16/07/2024


Medição on-line assegura a qualidade do material durante o processamento

Fabricante suíça de instrumentos de medição desenvolveu um viscosímetro com módulo de medição que analisa polímeros fundidos durante a extrusão.

16/07/2024


Banco de dados reúne informações sobre plásticos recicláveis

Pesquisadores dos Estados Unidos criaram um banco de dados com informações sobre caracterização de polímeros que deve servir como base para estudos sobre a reciclagem de plásticos.

17/07/2024