A fabricante sueca de bioplásticos Gaia Biomaterials anunciou a conclusão de uma emissão de direitos de subscrição de suas ações no valor de US$ 5 milhões, contando com o apoio do Almi Invest Greentech, um fundo estatal sueco de capital de risco que financia projetos da chamada “tecnologia verde”, além de investidores privados nacionais e internacionais. Os recursos serão utilizados para expandir a atuação da empresa nas Américas, Índia e demais mercados-alvo.

 

 

A Gaia Biomaterials produz um material compostável em ambiente doméstico denominado Biodolomer e baseado em calcário, um dos minerais mais abundantes. Pode ser empregado em processos de injeção, termoformação, sopro, extrusão de tubos e de filmes tubulares, além de impressão 3D. “Temos uma tecnologia revolucionária e proprietária, com capacidade de produção e fizemos nossos testes de mercado”, afirmou Peter Stenström, CEO da empresa. “Agora chegou a hora de expandir nossa presença no mercado. Usaremos nossos fundos para expandir nossa rede global de agentes comerciais, treiná-los e apoiá-los”, complementou.

 

O fundo estatal sueco de capital de risco de tecnologia verde, Almi Invest Greentech, escolheu a Gaia Biomaterials dentre cerca de 300 empresas analisadas a cada ano, para direcionar seus investimentos. “Procuramos um grande potencial comercial e ambiental combinado, e a Gaia Biomaterials tem um histórico comprovado de cumprimento de suas promessas. O seu produto tem um enorme potencial, pois é simultaneamente positivo para o clima e reduz a produção de resíduos e microplásticos.”, afirmou o gestor de investimentos Jörgen Bodin.

 

O material de Gaia foi recentemente utilizado em copos de cerveja para a final da Fórmula 1 em Abu Dhabi. Também é usado em produtos descartáveis para substituir o plástico de origem petroquímica em itens que vão desde aventais para cuidados de saúde até canudinhos, recipientes para alimentos e vasos de plantio (foto ao lado).

 

Atualmente a empresa possui capacidade de produção de até 50 mil toneladas/ano, com a estrutura já existente. "A necessidade de substituição do plástico é reconhecida globalmente e estamos testemunhando um enorme interesse nas nossas ofertas. Respondendo à alta demanda dos proprietários de marcas, estamos atualmente expandindo a nossa rede de agentes comerciais em todo o mundo".

 

A empresa está sediada em Helsingborg, na Suécia, e possui diversas patentes de bioplásticos. Foi fundada em 2015 por Åke Rosén, que trabalhou por décadas como cientista de materiais voltados para o setor de embalagens. Entre os seus proprietários estão os fundos Investment AB Latour, Peter Barry (Irlanda) e Almi Greentech Invest.

 

Mais informações sobre tecnologia e mercado de bioplásticos no hub de conteúdo Bioplásticos no portal da Plástico Industrial.

 

 ___________________________________________________________________________________

Assine a PI News, a newsletter semanal da Plástico Industrial, e receba informações sobre mercado e tecnologia para a indústria de plásticos. Inscreva-se aqui.

___________________________________________________________________________________


Imagens: Sven Persson (Gaia)

 

Leia também:

 

Bioplastics Brazil reunirá especialistas globais para discutir biopolímeros

 

Novo termoplástico reforçado terá origem 100% biológica



Mais Notícias PI



Evento sobre materiais plásticos acontece em SP

Palestras técnicas sobre plásticos de engenharia e compostos termoplásticos serão realizadas na Feiplar & Feipur.

16/07/2024


Embalagens de transporte serão temas de curso on-line

O Instituto de Embalagens está promovendo um treinamento sobre embalagens de transporte, que segue com inscrições abertas.

16/07/2024


Quadro de bicicleta de plástico reciclado é lançado na Alemanha

A Igus e a Advanced Bikes desenvolveram um quadro de bicicleta fabricado por injeção. Ele é feito em uma peça única, sem soldas, e é composto por plásticos de alto desempenho reciclados e fibras de carbono.

16/07/2024