A alemã sensXpert, uma divisão (spin-off) do grupo Netzsch, com subsidiária em São Paulo (SP), desenvolveu um sistema de monitoramento para a produção de peças em materiais termofixos que fornece dados detalhados sobre as resinas em processamento. O conjunto de recursos empregados para isso inclui sensores instalados nos moldes para captação dos dados de processo, computadores, painéis informativos (dashboards, como o da tela ao lado), um ambiente de dados em nuvem e mecanismos de aprendizagem de máquina.

 

Inicialmente concebido para contemplar as variáveis que são típicas do processamento dos termofixos, o sistema está sendo adaptado para uso em máquinas que processam termoplásticos, especialmente injetoras.

 

Baseado na instalação de sensores dielétricos associados a termopares e transdutores de pressão localizados em pontos estratégicos do molde em que serão produzidas as peças, o sistema processa em tempo real informações como viscosidade, tempo de cura, temperatura de transição vítrea, dados de fluxo, cristalização e encolhimento.

 

Os sensores possuem formato achatado, com três milímetros de diâmetro, captando informações que alimentam o sistema, de modo que ele aprenda com os padrões observados para o comportamento do material. “A medição e caracterização dos termofixos é mais simples, ao passo que os termoplásticos exigem uma sintonia mais do sistema, demandando por isso mais tempo de desenvolvimento”, informou Alec Redmann, da unidade norte-americana da Netzsch, em entrevista exclusiva à Plástico Industrial.

 

Alec explicou que a proposta da sensXpert é promover o conceito da manufatura apoiada em dados (data driven manufacturing), uma das tendências em termos de Indústria 4.0. A solução funciona no formato “equipamento como serviço”, modalidade de negócio em que o cliente paga pelo uso do equipoamento, ao invés de adquirí-lo definitivamente.

 

No caso dos termofixos, o sistema informa, por exemplo, quanto do monômero já foi convertido em polímero em determinado ponto do processo. Informa também como está ocorrendo a conversão entre o líquido viscoso e o gel elástico e se o material preencherá a ferramenta adequadamente ou congelará prematuramente, causando falhas no produto final. O mesmo é aplicável para variáveis como o grau de cura do polímero, a detecção das condições da frente de fluxo e a temperatura de transição vítrea, fatores críticos da moldagem de termofixos e cujo controle pode garantir a obtenção de produtos sem defeitos.

 

Lançado no final de 2022, o sistema de monitoramento já está disponível globalmente.

 

Fotos: sensXpert

 

 

Conteúdo relacionado:

 

Inteligência artificial vai auxiliar na formulação de compostos

 

Digitalização dá apoio à produtividade

 

Robotização e transformação digital integradas

 

 

#sensXpert



Mais Notícias PI



Injetora híbrida com força de 1.800 kN

Arburg vai expor injetora híbrida e com menor consumo de energia.

23/07/2024


Fabricante de embalagens se prepara para possível nova seca em Manaus

Antevendo desafios logísticos, a Extrusa Pack vai estocar matéria-prima em suas unidades na região Sudeste e é parceira na implantação de um posto de distribuição no AM.

23/07/2024


Centro técnico da Engel passa a ser equipado com injetora de alta capacidade

A fabricante austríaca de injetoras ampliou o seu centro técnico com a instalação de uma injetora de 55.000 kN de força de fechamento, desenvolvida com foco nas necessidades da indústria automobilística.

23/07/2024