O projeto Nenu2PHAr, financiado pela União Europeia para promover o desenvolvimento de aplicações para o bioplástico PHA, completou 18 meses de atuação e divulgou um balanço das atividades realizadas no período.

 

Criado com o objetivo de desenvolver polímeros PHA de fonte biológica competitivos e sustentáveis, o projeto reuniu parceiros europeus do setor de pesquisa e empresas que têm interesse imediato no desenvolvimento desses materiais, a exemplo da francesa Medtronic, que fabrica implantes à base de biopolímeros, ou a polonesa KAJ, fabricante de embalagens para cosméticos e fármacos.

 

Em um ano e meio de atuação, o projeto conseguiu demonstrar a viabilidade da sua principal linha de pesquisa, que é o uso de biomassa de microalgas como matéria-prima de carbono para a produção de biopolímero PHA por meio de fermentação bacteriana. A produção das algas Chlorella em escala semi-industrial começou e foi obtido o amido hidrolisado de amido que está sendo usado com sucesso como substrato para a fermentação para bactérias produtoras de PHA. 

 

O processo de pré-tratamento e extração do PHB foi desenvolvido em escala laboratorial com o uso de solvente de base biológica, e foi realizado um primeiro teste de extração e purificação de PHB.

 

Os biomateriais formulados no escopo do projeto para aplicações rígidas e duráveis obtiveram resultados promissores, de acordo com comunicado da instituição, e mais de 25 kg de materiais foram formulados para extrusão em matrizes e também de filamentos de impressão 3D (foto). Os compostos e formulações podem ser processados pelas técnicas convencionais de transformação de termoplásticos.

 

Foi relatada a injeção de amostras padrão com boas características, e a mistura de PHA com outros biopolímeros mostrou-se bastante promissora para o desenvolvimento de fibras. Foi realizada a caracterização de materiais equivalentes de base fóssil e a informação foi utilizada como referência para o desenvolvimento de protótipos.

 

No quesito fim da vida útil dos PHA’s, os resultados preliminares do teste em andamento foram promissores na biodegradação doméstica/industrial. Também já foi desenvolvida a ferramenta de avaliação do ciclo de vida para a análise ambiental dos produtos plásticos moldados com o PHA.


 

Foto: Nenu2PHAr


 

Leia também:

 

“Solvente verde” é usado na produção de bioplástico

 

Filamento de PLA simula a aparência e textura de grama ou musgo


 

#Nenu2phar   #PHA



Mais Notícias PI



ERT Bioplásticos tem novo conselho administrativo

À equipe da greentech ERT Bioplásticos foram integrados executivos que atuaram em empresas como Braskem e Rico Investimentos.

18/06/2024


Certificações levam à fabricação de mais produtos compostáveis

Bioplásticos à base de calcário recebem certificação que permite a produção de embalagens rígidas e itens de uso único compostáveis.

21/05/2024


Fabricante sueca de bioplásticos vai expandir presença mundial

Um novo aporte de recursos financeiros vai custear a atuação da Gaia Biomaterials em novos mercados, incluindo as Américas.

09/04/2024