A Gemü – empresa de origem alemã fabricante de válvulas e sistemas de medição e controle, com subsidiária em São Paulo (SP) – investiu em novos equipamentos na sua planta brasileira, localizada no Paraná, para aprimorar o processo de revestimento de corpos de válvulas e promover o aumento da sua produtividade.

 

 

A companhia informou que, entre outros upgrades, colocou em operação uma máquina injetora da marca Sumitomo/Demag em sua unidade fabril de São José dos Pinhais (PR), um investimento de R$ 3, 7 milhões (incluindo os moldes para produção), a fim de aprimorar o processo de injeção do revestimento interno em corpos de válvulas. “Dependendo do tipo de fluido que passa no interior do equipamento, por exemplo, se ele for quimicamente agressivo, o corpo da válvula requer um revestimento especial para impedir qualquer corrosão ou vazamento”, explicou o gerente industrial da Gemü do Brasil, Fabiano Gemin.

 

O revestimento termoplástico nunca havia sido feito na unidade brasileira da empresa, e foi objeto de uma transferência de tecnologia direta da Alemanha. Ainda segundo a companhia, o investimento foi realizado no contexto da Indústria 4.0, em que todo investimento em equipamentos precisa se reverter em melhoria da eficiência e produtividade dos processos.

 

Segundo informações da Gemü enviadas à imprensa, após a realização de diversos testes, conforme o padrão europeu, a planta brasileira foi selecionada para fornecer produtos em escala mundial. Para alcançar essa posição internacional, a companhia submeteu amostras para validação pelo seu polo de qualidade, na Alemanha.

 

Multiplicidade de métodos e equipamentos

A empresa informou que nos últimos seis anos também foram realizadas outras trocas e compras de equipamentos de última geração, como centros de usinagem, prensas e injetoras, com melhores recursos de controle, rapidez, automação e que permitissem produção em escala. Seguiu-se ainda o treinamento de operadores e a reestruturação geral no que diz respeito a layout, armazenamento de matéria-prima, padronização de procedimentos, movimentação de materiais, etc.

 

Além disso, outras novas máquinas que a Gemü colocou em operação em 2022 foram a laminadora de roscas e uma máquina de corte com jato d´água, que permite realizar dentro de sua unidade um processo que era terceirizado, de rebarbação e furação de peças. Em breve, será integrado também, um centro de usinagem em cinco eixos, necessário para fabricação de diversos componentes.

 

Fabiano Gemin apontou ainda que “Nosso fornecimento para outras unidades da Gemü no mundo, ou seja, intercompany, hoje representa um terço do faturamento, e inclui remessas para Alemanha, China, EUA, Austrália e África do Sul”. Com a modernização, o objetivo da companhia é crescer de 15 a 20% em 2022.

 

O restante da produção da empresa se divide entre máquinas industriais para o Brasil e  América Latina, válvulas de alta especialidade para o setor farmacêutico, alimentício e de biotecnologia. Além do ganho de produtividade, os novos investimentos possibilitaram a contratação de pessoal para produção em fábrica, aumentando em 8% o número de funcionários em 2021.

(Fotos: Gemü)


 

Conteúdo relacionado:

Mercado de máquinas e equipamentos em plena recuperação

Lançamento para o ramo do plástico inclui plataforma digital e serviços



Mais Notícias PI



Evento sobre materiais plásticos acontece em SP

Palestras técnicas sobre plásticos de engenharia e compostos termoplásticos serão realizadas na Feiplar & Feipur.

16/07/2024


Embalagens de transporte serão temas de curso on-line

O Instituto de Embalagens está promovendo um treinamento sobre embalagens de transporte, que segue com inscrições abertas.

16/07/2024


Quadro de bicicleta de plástico reciclado é lançado na Alemanha

A Igus e a Advanced Bikes desenvolveram um quadro de bicicleta fabricado por injeção. Ele é feito em uma peça única, sem soldas, e é composto por plásticos de alto desempenho reciclados e fibras de carbono.

16/07/2024