Uma parceria entre a Boomera e a Nescau – marca de achocolatado do grupo Nestlé – resultou na transformação de cerca de duas toneladas de resina pós-consumo, proveniente de embalagens flexíveis, em itens esportivos para a prática de futebol, basquete e vôlei, que foram doados para uma ONG no Estado de Santa Catarina.

 

De acordo com informativo enviado à imprensa, o projeto, amparado pela iniciativa RE da Nestlé, visava unir inovação e sustentabilidade com a proposta de reciclar as embalagens dos sachês da companhia, a fim de reforçar a importância da circularidade dos produtos, e buscou a Boomera para transformar resíduos pós-consumo em matéria-prima reciclada.

 

Após o desenvolvimento de uma resina pós-consumo (PCR) própria para a execução do projeto, o material foi transformado em itens esportivos como traves de futebol, cestas de basquete e postes de vôlei, os quais foram doados à ONG Bairro Da Juventude, sediada em Criciúma (SC), como incentivo à prática de esportes e exemplo de sustentabilidade para  crianças e jovens que frequentam a organização.

 

 

Entre outros benefícios, estão o aumento da renda das cooperativas homologadas pela Boomera envolvidas no projeto a partir da venda desses resíduos, e de seus catadores e catadoras de material reciclável, os quais atuaram na coleta de duas toneladas de materiais flexíveis, impedindo sua ida para aterros.

 

Segundo os dados do informativo, a coleta dos sachês usados durou cinco meses e envolveu dez cooperativas de reciclagem. O processo de transformação e desenvolvimento da resina pela Boomera até a finalização da produção dos itens esportivos foi realizado em mais cinco meses, considerando todos os testes necessários para garantir o desempenho dos produtos.

 

(Fotos: divulgação)

 

Conteúdo relacionado:

Empresa supera sua meta de uso de material reciclado

Alta da produção de resinas recicladas nos últimos anos



Mais Notícias PI



Empresa supera sua meta de uso de material reciclado

A SC Johnson superou sua meta de uso de 15% de plástico reciclado em suas embalagens quatro anos antes do previsto e, agora, quase dobra a aposta para usar 25% até 2025.

12/01/2022


Manufatura aditiva e resina reciclada: as tendências no segmento de sopro

Pesquisa no ramo de transformação de plásticos por sopro apontou que mais de 70% das empresas usam manufatura aditiva (impressão 3D) para complementar seus processos produtivos, e mais de 60% utilizam resinas recicladas para fabricar seus produtos.

06/12/2021


Projeto usará embalagens de EPS na produção de peças para eletrodomésticos

Parceria que visa à fabricação de peças para refrigeradores usando embalagens de EPS pretende reaproveitar 200 toneladas de material pós-consumo até o próximo ano.

30/11/2021