A Blue Air Systems (Áustria), representada no Brasil pela Wachter Kommerz (Santana de Parnaíba, SP), desenvolve sistemas para secagem de resinas termoplásticas capazes de reaproveitar o ar comprimido residual proveniente do processo de injeção-sopro (injection blow).  A partir disso, é possível reduzir o tempo de ciclo de trabalho e, consequentemente, diminuir o consumo de energia elétrica necessário à sua execução.

Equipamento de desumidificação de plásticos reutiliza ar comprimido residual proveniente de processos Injeção-sopro

 

Uma de suas linhas é a RDL, a qual conta com equipamentos que são indicados para o processamento de polímeros diversos. Basicamente, eles operam recuperando o ar seco e aquecido usado na desumidificação de grânulos por meio de um sistema que consiste em tubulação de escape, filtro de partículas e bomba de sucção. Dessa forma, o ar residual é direcionado para o compartimento onde se encontra acondicionada a resina sob processamento para que ele seja novamente aquecido e se misture com o ar que é inserido por compressão na mesma câmara.

 

Segundo informações fornecidas pela empresa, essa linha de sistemas de secagem não utiliza dessecantes e nem água. Eles têm como princípio operacional expandir a massa de ar seco usada para desumidificar a resina por meio de pressão, de modo a criar um ponto de orvalho muito baixo (de -25 a -70 ºC) e distribuir o ar uniformemente por um conjunto de bocais e anéis.

 

Ainda de acordo com a companhia, os equipamentos possibilitam que o tempo de secagem seja reduzido pela metade em comparação com sistemas tradicionais. E no que diz respeito ao consumo de energia elétrica, pode-se chegar a uma redução de aproximadamente 24 kW em comparação com processos de desumidificação usando dessecantes, por exemplo.

 

Outras características dos equipamentos consistem em funis em versões com capacidade de 150 a 1.500 L, além de sistema de aquecimento de ar secundário. Há também os modelos da linha RDX, que contam com sensores para controle de enchimento e esvaziamento de ar comprimido, assim como interface para conexão com plataformas digitais.

 

Mais informações podem ser obtidas aqui. Dados sobre a oferta de desumidificadores e secadores de resinas plásticas fornecidos no Brasil podem ser acessados em nossos guias, dentre os quais está o de sistemas de resfriamento (chillers e torres).

 

Imagem: Blue Air Systems

 

Conteúdo relacionado:

Compostos bioplásticos para o mercado brasileiro

Um novo recurso para sistemas de câmara quente

 

#BlueAirSystems Wachter Kommerz #DesumidificadoresdeResinas #Plásticos



Mais Notícias PI



Novos polímeros com grafeno, mais resistentes e sustentáveis

Parceria entre a Gerdau Graphene e a unidade Embrapii Senai Mario Amato terá foco na pesquisa, desenvolvimento e inovação para aplicações industriais do grafeno em plásticos.

18/01/2022


Poluição marinha por plásticos em debate

A AMI promove gratuitamente o evento virtual “Ocean Plastic”, que falará sobre como encontrar maneiras de resolver o problema da poluição marinha por plásticos.

17/01/2022


Sachês pós-consumo transformados em itens esportivos

Projeto que integra a Boomera e a marca Nescau resultou na reciclagem de resina pós-consumo, proveniente de embalagens flexíveis, em itens esportivos, os quais foram doados a organização beneficente.

14/01/2022