Uma iniciativa recente do United Grinding Group (Suíça), detentor de marcas conhecidas do segmento metalmecânico como Jung, Fritz Studer e Walter, resultou na realização do segundo hackathon voltado para o desenvolvimento de formas de aumentar a conectividade e a digitalização de processos executados por máquinas-ferramentas como tornos, centros de usinagem ou máquinas de eletroerosão com base na Interface Universal para a Tecnologias de Máquinas (umati).

 

Os hackathons são eventos que reúnem desenvolvedores de software e demais profissionais ligados à programação por horas, dias ou até semanas, com o objetivo de discutir novas ideias e buscar soluções para temas específicos, a exemplo do que foi proposto.

 

Especialistas dos setores de máquinas e engenharia de instalações se reuniram no mês de junho, com o objetivo de expandir a conectividade de gerações mais antigas de máquinas existentes usando o protocolo umati, em uma ação que deverá ter como resultado novas interfaces e dispositivos para os usuários de máquinas-ferramentas em todo o mundo.

 

O evento aconteceu nas dependências da fabricante de retificadoras cilíndricas Fritz Studer AG (Suíça), uma das empresas do United Grinding Group. Cerca de trinta especialistas em digitalização dos setores de engenharia de máquinas e instalações de diferentes indústrias se encontraram e conectaram máquinas em rede, implementando modelos de dados padronizados, gerando e testando códigos por dois dias.

 

Conexão com maquinário preexistente

 

O objetivo do hackathon deste ano foi a integração de máquinas-ferramentas existentes usando o OPC 40501, que trata do uso de parâmetros especificamente para máquinas-ferramenta (UA for Machine Tools). Embora as novas máquinas sejam predominantemente equipadas com o padrão umati, há um grande potencial nas máquinas preexistentes, conhecidas como brownfieldsOutro destaque foi a implementação dos primeiros dados padronizados de consumo de energia para efeito de monitoramento, que está atualmente em desenvolvimento.

 

“Como anfitriã deste evento, oferecemos uma plataforma criativa que reúne desenvolvedores de diferentes empresas, não para fins próprios, mas mantendo também o foco em benefícios específicos para o cliente”, comentou Christian Josi, chefe de engenharia digital da United Grinding, que apoio o estabelecimento da umati, cuja sigla vem de Universal Machine Technology Interface (interface universal para a tecnologias de máquinas) e visa introduzir uma interface de dados universal independente do fabricante para máquinas baseadas em OPC UA.

 

Graças a essa interface, as máquinas no chão de fábrica podem se comunicar entre si e com seu ambiente de produção em uma linguagem uniforme. “A padronização da comunicação e das interfaces é extremamente importante para as máquinas-ferramenta e para a indústria do futuro”, comentou Alexander Broos, chefe de pesquisa e tecnologia da Associação alemã dos construtores de máquinas-ferramenta (VDW) e gerente de projetos da umati. “Sem essa padronização não haverá transformação digital na produção. Uma linguagem uniforme é requisito essencial para que máquinas de diferentes fabricantes possam trocar dados”, completou ele.

 

Esta linguagem uniforme está sendo desenvolvida em cooperação com os vários fabricantes de máquinas. Cerca de 310 parceiros de todo o mundo estão agora envolvidos no umati, em espaços virtuais onde todos compartilham o objetivo de facilitar a vida profissional de seus clientes e aumentar a produtividade na produção, aproveitando o potencial da digitalização.

 

Isso tem ocorrido por meio da implementação do padrão de comunicação e interface OPC UA, que agora pode ser usado para uma ampla gama de máquinas-ferramenta por meio de inúmeras subespecificações, ou as chamadas especificações complementares, tendo como algumas de suas vantagens:

 

- Visão geral rápida de todos os dados da máquina, processo e produção, pois todas as máquinas podem ser conectadas a um sistema de monitoramento, o que torna significativamente mais fácil descobrir o potencial de otimização da produção.

 

- Plug&Produce: a conexão simples de máquinas de diferentes fabricantes umas às outras e ao sistema de produção superior sem configuração manual, o que economiza tempo e recursos.

 

- A variedade de interfaces diferentes é reduzida com o umati, o que melhora a transparência e gerencia a complexidade.

 

 

Foto: United Grinding

 

 

 

Leia também:

 

 

Congresso Internacional de Inovação na indústria acontece em setembro

 

Sistema de gestão de ferramentas previne paradas e reduz custos

 

 

Muito mais sobre tecnologias digitais aplicadas ao mundo da usinagem no hub de notícias sobre Indústria 4.0 da Máquinas e Metais.

 



Mais Notícias MM



Sistema da Wisers gerencia a disponibilidade e monitora o desgaste de ferramentas

Empresa paulista desenvolveu uma plataforma baseada em recursos digitais para o gerenciamento de estoques de componentes críticos como as ferramentas para usinagem.

10/06/2024


Robôs industriais da Comau em nova geração

Autômatos da série S-Family podem operar em conjunto com sistemas para manipulação de peças usinadas e soldagem.

06/06/2024


TopSolid aposta em sistemas modulares para promover o conceito de fábrica conectada

A desenvolvedora de origem francesa oferece sistemas CAD, CAE, CAM e PDM sob medida para diferentes tarefas na indústria metalmecânica.

05/06/2024