Adalberto Rezende, da redação



 

O uso de ferramentas digitais que possibilitam a realização de simulações de processos industriais como a soldagem proporciona vantagens para empresas do setor metalmecânico que pretendem otimizar seus processos produtivos, o que é uma das premissas para reduzir custos e uma das diretrizes para se aproximar dos conceitos da indústria 4.0.


Além do ambiente industrial, o meio acadêmico também pode fazer uso de softwares voltados para a execução de ensaios virtuais de operações típicas do chão de fábrica, incluindo não só a soldagem de chapas, tubos e perfis metálicos, mas também simulações de processos de corte, estampagem e conformação, bem como usinagem, de metais. 

 


Fig. 1 – Captura de tela de uma simulação de soldagem feita com o software Simufact Welding, da Hexagon, que envolveu análise do surgimento de pontos de tensão residual na união de chapas.


 

Atualmente, há softwares que tornam possível a realização de simulações e análises desses e de outros processos em um único conjunto, ou seja, é possível cruzar dados provenientes de diferentes tipos de simulações em um único processo. Isso facilita a análise de dados e a reboque contribui para o estabelecimento de uma boa comunicação entre diferentes departamentos. 


Um exemplo é o software para simulação de soldagem Simufact Welding, pertencente ao portfólio da Hexagon, com matriz na Suécia e escritório comercial em São Paulo (SP). Recentemente, a empresa divulgou alguns dos recursos atualizados desse programa, tais como ferramentas que possibilitam a otimização da sequência de processos de união de peças metálicas.


Essas e outras ferramentas do software têm como função facilitar a detecção de eventuais anomalias recorrentes no processo de soldagem, tais como o surgimento de tensões residuais que podem levar à ocorrência de distorções em áreas soldadas de chapas e tubos, por exemplo (figuras 1 e 2). Além disso, as informações obtidas por simulação de soldagem podem ser utilizadas na simulação de outros processos aos quais serão submetidas as peças soldadas. 

 


Fig. 2 – Captura de tela de uma simulação de soldagem que envolveu a criação de malhas para análise de eventuais distorções que possam surgir em áreas de tubos soldados.


 

De acordo com informações fornecidas por Marcela Vieira, engenheira de materiais e de soldagem da Hexagon no Brasil, à Corte e Conformação de Metais, entre os recursos atualizados do software mencionado anteriormente estão ferramentas que permitem o cruzamento de informações provenientes de simulações distintas: “o maior diferencial do Simufact Welding é a sua capacidade de encadeamento de soluções. Por exemplo, é possível trazer os resultados de um processo de conformação mecânica para o programa e, posteriormente, transferir os dados para outra simulação de, por exemplo, análise de fadiga e análise estrutural de peças metálicas”, comentou.

 

 

Licença para uso do software

 

O software é recomendado para a realização de simulações de soldagem a arco elétrico, soldagem com ou sem fixação, assim como solda a ponto, entre outros. Marcela também mencionou alguns tipos de licenças para uso do software fornecidas pela companhia: “contamos com o MSC One, que consiste em ‘tokens’ para a utilização do software, sendo possível o acesso de mais de uma solução, dependendo do número de tokens que nosso cliente adquirir. Existe também a modalidade de licença perpétua e ‘leasing’”.


 

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 3146-0278 e pelo e-mail marcela.vieira@hexagon.com. 


 

Imagens: Hexagon


 

Conteúdo relacionado:

 

Mais recursos para o projeto de estampos

 

Transformação digital via processos robotizados

 

Inteligência artificial no pré-processamento de chapas

 

#Hexagon #SimufactWelding #Soldagem #CorteeConformaçãodeMetais



Mais Notícias CCM



Analisador portátil identifica ligas metálicas instantaneamente

Novos modelos de analisadores portáteis permitem a identificação de elementos de liga em metais de forma rápida e com recursos de conectividade.

15/07/2024


Conformação rotativa pode tornar viáveis as células a combustível

O Instituto Fraunhofer de Máquinas-Ferramenta e Tecnologia de Conformação (IWU) anunciou o desenvolvimento de um sistema rotativo para estampagem das finíssimas chapas metálicas usadas na montagem de placas bipolares que compõem as células a combustível. A novidade poderá reduzir os custos de produção dessas células, com impacto no mercado da mobilidade elétrica, tendo em vista que elas substituem as baterias.

15/07/2024


Estampagem a quente e recursos digitais serão mostrados pela Schuler na EuroBLECH

Fabricante de prensas vai expor tecnologia para estampagem a quente e união de chapas por temperatura e pressão na feira alemã EuroBLECH de 2024.

15/07/2024