A alemã AZL, empresa de soluções de engenharia voltadas para a construção leve, que atua em estreita cooperação com a Universidade Técnica de Aachen (RWTH) vai lançar no dia 22 de outubro um projeto conjunto para desenvolvimento de um invólucro de bateria para veículos elétricos, juntamente com um consórcio industrial internacional formado pela montadora Audi e fornecedores da cadeia de valor, incluindo AsahiKasei, Covestro, EconCore, IPTE e Johns Manville.

 

O desenvolvimento do produto terá prazo de oito meses e começará com uma análise do mercado internacional, bem como um estudo de diferentes conceitos de componentes multimateriais, incluindo termoplásticos e compósitos. Serão considerados diferentes cenários de produção, tendo em vista a composição de custos. Ao final, o projeto será fabricado como um protótipo. As empresas interessadas podem iniciar sua participação no projeto até o dia 22 de outubro de 2020.

 

A demanda por veículos elétricos está aumentando e, com ela, a necessidade de carcaças de bateria leves e robustas. Já existe no mercado um grande número de invólucros diferentes, formados por componentes muito diferentes, geralmente feitos de alumínio e aço, materiais que apresentam limitações em relação a inúmeros requisitos, sendo o principal deles o peso. O projeto da AZL busca, por isso, uma abordagem multimaterial, visando à combinação de propriedades de cada material em resposta a cada requisito específico.

 

"Carcaças de bateria são um componente chave em veículos elétricos e os requisitos são desafiadores, além de muito individuais para diferentes classes de veículos", comentou Florian Meyer, mentor de gerenciamento de projetos do departamento de Desenvolvimento Técnico da Audi AG. "Estamos ansiosos pelos resultados da troca criativa que vi ocorrer com a cadeia de valor e o consórcio envolvendo classes de materiais para descobrir como podemos economizar peso e custos usando soluções multimateriais baseadas em plásticos versus soluções convencionais em metal."

 

A AZL irá inicialmente traçar uma visão geral do mercado com o consórcio industrial, com a caracterização de componentes e conceitos de séries existentes, identificando fabricantes, usuários, fornecedores e cadeias de abastecimento relevantes no mercado. Padrões e requisitos para carcaças de bateria serão derivados dos componentes existentes e serão avaliadas as vantagens da abordagem multimateriais. Vários conceitos de produto e cenários de produção associados serão avaliados

 

Os participantes definirão conceitos de componentes para os quais serão desenvolvidos modelos CAD e diferentes tipos de avaliação, incluindo análises por elementos finitos (FEM). O lançamento do projeto ocorrerá no dia 22 de outubro, por meio de videoconferência.

 

Mais informações sobre o desenvolvimento do mercado de invólucros de bateria e detalhes do projeto podem ser encontrados nos seguintes links:

 

▪ Descrição do projeto: https://azl-aachen-gmbh.de/wp-content/uploads/2020/07/2020-250_OP_Battery_Casing.pdf

 

▪ Visão geral sobre o projeto e mais projetos conjuntos iniciais na AZL: https://azl-aachen-gmbh.de/portfolio/joint-rd-projects/


 

Empresas interessadas podem entrar em contato com Philipp Fröhlig, Gerente de Projetos Sênior da AZL, pelos telefones +49 241 475 735 14, +49 176 80488799 ou pelo e-mail: philipp.froehlig@azl-aachen-gmbh.de

 

Na ilustração, modelos já existentes de carcaças de bateria. O projeto da AZL pretende otimizar o conceito por meio do uso de diferentes materiais. Foto: AZL


 

Conteúdo relacionado:

Peça estrutural em plástico reforçado com fibra de carbono

Compostos eletricamente condutores na fabricação de produtos mais seguros




Mais Notícias PI



Nanocomposto antiviral para embalagens de EPS

Empresa brasileira desenvolveu um material nanocomposto que confere propriedades virucidas e antibacterianas às embalagens de poliestireno expandido de sua linha.

22/09/2020


Curso on-line sobre grafeno e polímeros acontece este mês

Evento abordará recentes desenvolvimentos em termoplásticos e termofixos formulados com grafeno, além de estudos sobre polímeros e materiais complementares.

17/09/2020


Novo aditivo antiviral na formulação polimérica de solados

Linha de calçados passou a ter na composição de seus solados um agente capaz de dificultar a ação de vírus e bactérias. O aditivo recebeu certificação internacional e pode ser usado na fabricação de outros produtos.

09/09/2020