Adalberto Rezende, da redação.

 

 

A Polo Films, com escritório comercial em São Paulo (SP), desenvolveu uma linha de filmes fabricados em polipropileno biorientado (BOPP) que têm a capacidade de impedir a proliferação de microrganismos causadores de doenças.

 

Empresa brasileira lançou linha de filmes plásticos capazes de impedir a ação de vírus e bactérias

A série de produtos chamada de FlexProtec conta com filmes que tiveram adicionados à sua cadeia polimérica nanomateriais à base de íons de prata (exemplo mostrado na imagem), o que lhes confere propriedades antivirais cuja eficácia foi constatada após a realização de testes laboratoriais na Universidade Estadual Paulista (Unesp).

 

Essa informação foi fornecida por Rodrigo Chaves Serafini, engenheiro de pesquisa e desenvolvimento sênior da companhia, que falou mais sobre as características dos filmes em entrevista concedida à revista Plástico Industrial.

 

Ele explicou como os produtos passaram a ter propriedades virucidas e comentou sobre outras de suas características: “a tecnologia incorporada aos filmes da família FlexProtec, teoricamente, pode ser utilizada em todos os tipos de filmes que produzimos, pois o diferencial consiste no acréscimo da propriedade antimicrobiana ao produto, sem alterar suas características. Pegando como exemplo o filme COEX, codinome 20TSY32, acrescentamos a especialidade PRO, de proteção, obtendo o filme 20TSY.PRO32”. 

 

Além disso, a durabilidade das propriedades antivirais dos filmes não corre risco de ser comprometida durante o seu processamento, e nem mesmo se eles forem submetidos a condições críticas de abrasão ou molhamento, em caso de exposição a ambientes úmidos e/ou com formação de gelo, por exemplo. 

 

Rodrigo explicou o porquê disso: “os íons de prata são incorporados à matéria-prima que é utilizada na formulação da estrutura do filme, sendo assim totalmente inertes às condições de processamento e trabalho ao longo da cadeia de produção. 

 

Os filmes com propriedades antivirais serão comercializados em versões com diferentes espessuras e com tratamento superficial para impressão e/ou laminação. O entrevistado também comentou que a companhia está aberta a propostas para a formação de parcerias para o desenvolvimento de filmes plásticos com capacidade para inativar vírus, bactérias e fungos. “Há projetos em desenvolvimento que poderão ser divulgados em breve”, concluiu.

 

Mais informações sobre produtos indicados para a formulação de resinas termoplásticas como aditivos e cargas podem ser obtidas em nossa seção de guias

 


 

Imagem: Polo Films/Divulgação



 

Conteúdo relacionado:

 

Investimento milionário voltado para a economia circular de plásticos

 

Epóxi à base de plantas permite a reciclagem de fibra de carbono

 

#FilmeAntiviral #BOPP #Covid19 #Plástico

 



Mais Notícias PI



Embalagens para impermeabilizantes agora em versões feitas com PCR

Linha de baldes fabricados com plásticos pós-consumo passou a ser usada para acondicionar produtos da marca Quartzolit.

08/02/2024


Rótulos de PP melhoram a rastreabilidade dos galões de água da Bioleve

Com maior durabilidade e capacidade de suportar mudanças de umidade e temperatura, rótulos plásticos que substituíram os de papel ajudam a preservar as informações presentes nas embalagens de água da marca.

16/01/2024


Embalagens de lubrificantes da Iconic agora têm 40% de resina PCR

Passou de 20% para 40% o volume de plástico reciclado usado na fabricação de bombonas de 20 litros que têm tripla camada. Embalagens de 1 litro fabricadas com 28% de plástico reciclado estão sendo testadas.

10/01/2024