A fabricante alemã de pneus Continental vem desenvolvendo novas ações para mitigar seus impactos ambientais, favorecendo a reciclagem e reaplicação de materiais plásticos com o emprego de fios de garrafas PET recicladas em seus pneus e a reciclagem de embalagens de PE utilizadas em seus processos.

 

Uma das propostas da companhia é empregar fios de poliéster reprocessados, obtidos a partir da reciclagem de garrafas plásticas, na produção de pneus já a partir de 2022, inicialmente no mercado europeu. Entretanto, ainda não há previsão para a incorporação desse material nos pneus produzidos na fábrica da Continental em Camaçari, na Bahia.

 

De acordo com a alemã, os novos fios, mais sustentáveis, serão obtidos por meio de um processo mecânico de reciclagem de garrafas de poli(tereftalato de etileno) (PET) e empregados na construção da carcaça de pneus, podendo substituir completamente o poliéster convencional.

 

Juntamente com a OTIZ, seu parceiro de cooperação e especialista em fibras, a companhia desenvolveu uma tecnologia especial para reciclar tais garrafas sem etapas químicas intermediárias, de forma a tornar o fio obtido funcional para os altos requisitos mecânicos do pneu. Como parte do processo de reciclagem, as garrafas são primeiramente classificadas, têm suas tampas removidas e são higienizadas. Após a trituração mecânica, são derretidas e granuladas. Na sequência, passam por processos de polimerização em estado sólido e, depois, pela fiação.

 

Estes fios, segundo testes realizados pela empresa alemã, atendem aos altos requisitos mecânicos do pneu, cuja matéria-prima tem a mesma qualidade que o PET virgem, sendo estáveis e particularmente adequados para o uso na aplicação, uma vez que possuem os requisitos de força de ruptura, resistência mecânica e estabilidade térmica. O PET convencional tem sido considerado como material alternativo na produção de pneus de passeio pela companhia justamente porque mantém sua forma mesmo sob altas cargas e temperaturas e, assim, garante segurança em todas as velocidades de condução.

 

O uso de PET reciclado colabora também para a preservação de recursos, uma vez que, atualmente, um pneu convencional de passeio emprega cerca de 400 g de fios de poliéster. Isso significa que mais de 60 garrafas PET recicladas poderão ser utilizadas para compor um conjunto completo de pneus de um veículo no futuro.

 

Reciclagem de polietileno (PE)

Além disso, a Continental colocou em prática, em sua planta de Macaé (RJ), um projeto idealizado por quatro colaboradores brasileiros cujo objetivo é reciclar 50 toneladas de polietileno (PE) por ano. A medida faz parte das metas da companhia para se alinhar ao Acordo de Paris

 

Segundo informações da companhia fornecidas à Plástico Industrial, com a pandemia, o mercado de polímeros em geral ficou muito instável, tanto do ponto de vista econômico quanto do próprio abastecimento de material, chegando a correr o risco de paradas de produção por desabastecimento.

 

Paralelamente, a Continental implementou diretrizes internas para se alinhar às propostas do Acordo de Paris, tratado ambiental chancelado pela Organização das Nações Unidas (ONU). Com isso, a empresa pretende reduzir em 20% o consumo de energia das suas instalações pelo mundo, gerando uma economia de, pelo menos, 1 TWh até 2030. Unindo ambos os cenários, surgiu a ideia da implementação deste processo. Para a empresa, com a reutilização do seu próprio material, ela está protegida da falta do produto no mercado, além de diminuir bastante o impacto ambiental.

 

A Continental informou ainda que o PE virgem vem de um fornecedor externo e é utilizado para proteção de rolos de calandrados de borracha (subprocesso da fabricação), e nesta condição ele não é consumido no produto final: tem função apenas de embalagem. Quando estes rolos são aplicados no produto acabado, o polietileno sobra. Então, este é segregado, fardado e enviado ao fornecedor novamente, para ser reprocessado (por meio da reciclagem mecânica) e devolvido na forma de produto reciclado, o qual terá a mesma aplicação do material virgem.

 

Segundo porta-vozes da empresa,  até o momento, com oito meses de projeto,  já deixaram de ser descartadas cerca de 50 toneladas de polietileno: “Alinhados com a estratégia da Continental, estamos buscando constantemente formas de reciclagem de material em nosso processo, além de outras soluções sustentáveis para nossos produtos e processos produtivos. Há estudos sendo realizados para um novo processo de reutilização, em breve divulgaremos mais detalhes”.

(Fotos: Continental; OTIZ)


 

Conteúdo relacionado:

Pneus descartados se transformam em negro de fumo para a indústria

Pneu termoplástico



Mais Notícias PI



Quadro de bicicleta de plástico reciclado é lançado na Alemanha

A Igus e a Advanced Bikes desenvolveram um quadro de bicicleta fabricado por injeção. Ele é feito em uma peça única, sem soldas, e é composto por plásticos de alto desempenho reciclados e fibras de carbono.

16/07/2024


Medição on-line assegura a qualidade do material durante o processamento

Fabricante suíça de instrumentos de medição desenvolveu um viscosímetro com módulo de medição que analisa polímeros fundidos durante a extrusão.

16/07/2024


Banco de dados reúne informações sobre plásticos recicláveis

Pesquisadores dos Estados Unidos criaram um banco de dados com informações sobre caracterização de polímeros que deve servir como base para estudos sobre a reciclagem de plásticos.

17/07/2024