Uma pesquisa realizada por Plástico Industrial no segmento de transformação de plásticos por extrusão para a elaboração do guia anual do segmento levantou algumas informações sobre o setor. Mostrou, por exemplo, que atualmente os dois principais setores consumidores de produtos fornecidos por empresas desse ramo são o de embalagens, o qual absorve 35,39% da produção, e segmentos classificados na categoria “outros”, que inclui o moveleiro, de equipamentos hospitalares, a área siderúrgica, instalações comerciais e ramo de refrigeração. Juntos, eles consomem 27,27% do total processado.

Setor de extrusão de plásticos mostrou boas consequências da pandemia de Covid-19

 

Em seguida aparecem o de construção civil, que compra 14,77% do mix de produtos; automobilístico, 6,44%; agroindustrial, 6,0%; de eletrodomésticos (linha branca), 4,96%; utilidades domésticas, 2,62%; de brinquedos/lazer, 1,31%; e também de eletroeletrônicos, equivalendo a 0,84%, além de sinalização, com 0,40%.

 

O uso de tecnologias associadas ao conceito de Indústria 4.0 também foi um dos assuntos do levantamento, que mostrou que 23,43% das participantes já dispõem de recursos de computação em nuvem, 18,75% usam sistemas de automação e robótica, 12,5% têm equipamentos de impressão 3D, 10,93% contam com sistemas de Internet das Coisas (IoT) e outros 10,93% já operam com sistemas MES integrados com ERP.

 

Além disso, 9,38% disseram que seus sistemas de controle estão alinhados com o conceito de machine learning, 7,82% utilizam Big Data para fazer análises de dados provenientes do chão de fábrica e 6,26% já instalaram sistemas de cibersegurança. Cerca de 21,63% das entrevistadas possuem robôs manipuladores e 60,52% delas afirmaram que a pandemia de Covid-19 levou ao aumento do interesse por tecnologias desse tipo.

 

O setor de extrusão e a pandemia

Ao serem questionadas sobre quais foram as principais dificuldades ocasionadas pela pandemia de Covid-19, 40,61% das empresas disseram que foi o abastecimento de matéria-prima e de outros suprimentos; 16,80% afirmaram ter sido o licenciamento de pessoal por suspeita de contaminação; 13,23% apontaram a redução geral do consumo; 11,23% o cancelamento de pedidos e para 10,85% delas foi a adaptação das escalas de trabalho devido às determinações de isolamento social, enquanto 7,28% mencionaram a adaptação do parque fabril às condições recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

 

A atual crise sanitária teve consequências positivas no dia a dia de 64,86% das companhias pesquisadas. Entre as que informaram isso, 53,57% apontaram o aumento do consumo de embalagens; 28,57% o aumento do uso de produtos de limpeza e desinfecção; 14,28% consideram que isso se deveu ao aumento do consumo de embalagens devido a serviços de entrega de alimentação e 3,58% indicaram a revisão das proibições de uso de itens descartáveis como fator positivo. E devido a isso, 48,14% disseram que contrataram funcionários, 40,74% aumentaram sua a capacidade de produção e 11,12% fizeram novas parcerias para fabricação terceirizada (outsourcing).

 

O reaproveitamento de sobras de processo também foi abordado na pesquisa, em que 73,68% das empresas participantes afirmaram que possuem moinhos para a reciclagem de plásticos. Aproximadamente 47,37% delas utilizam resinas recicladas para fabricar embalagens plásticas, sacos para lixo doméstico e hospitalar, filmes de poliéster, bisnagas, sacolas coloridas, eletrodutos na cor preta, bobinas para embalagens flexíveis, entre muitos outros produtos.

 

Esses dados e informações sobre as empresas que colaboraram com a pesquisa podem ser conferidos na seção Guias, a qual traz também informações sobre equipamentos e serviços para a área de plásticos.

 

Foto: Pixabay

 

Conteúdo relacionado:

Fornecedores de aditivos ampliam comercialização na América Latina

Fabricante de chillers vai aumentar produção em SP

 

#Pesquisa #Extrusão #Indústria40 #Reciclagem #Plásticos #Covid-19

 



Mais Notícias PI



Impressora 3D é divulgada em feira

Equipamento conta com câmara ativamente aquecida e pode processar materiais como PA e PC.

24/05/2022


Mais aproveitamento na reciclagem de fios e cabos 

Empresa do ABC paulista desenvolveu maquinário que separa o material polimérico dos metais presentes em fios e cabos, garantindo, em alguns casos, 99,9/% de pureza para o cobre obtido.

24/05/2022


Plataforma digital para monitoramento do chão de fábrica feita no Brasil

Sistema abrange a interconectividade entre máquinas, além da coleta e transmissão de dados em tempo real, in loco e remotamente.

24/05/2022