Um programa chamado Open Lab 5G, que é voltado para a implantação e ensaio de sistemas digitais que permitem a conexão entre linhas de produção e redes 5G, foi iniciado em uma fábrica do grupo WEG situada no município de Jaraguá do Sul (SC).

Programa de implantação de redes 5G na indústria é iniciado no Brasil

Trata-se de um consórcio do qual também fazem parte o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPQD), a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). As instituições trabalharão em conjunto na coleta, análise e armazenamento de dados provenientes de operações executadas na unidade fabril, os quais serão processados em testes com redes digitais privativas.

 

Um dos objetivos é fazer um levantamento sobre os aspectos técnicos relacionados a este tipo de aplicação que podem proporcionar melhorias ao processo produtivo, além de avaliar a viabilidade da implantação de tecnologia 5G em ambientes fabris visando à criação de projetos embasados nos conceitos da indústria 4.0.

 

O líder da Plataforma de Comunicações Sem Fio do CPQD, Gustavo Correa Lima, mencionou outros tópicos que compõem o escopo da iniciativa: “A intenção é avaliar diferentes sistemas para o uso na indústria. Isso inclui a conexão entre redes 5G públicas e privadas, além de outras tecnologias com e sem fio, como Wi-Fi e fibra óptica”.

 

O diretor Guilherme Spina, que atua na V2COM, empresa do grupo WEG, falou sobre algumas características do projeto, o qual incluirá “implementação de arquitetura de redes diferentes, uma convencional e outra virtualizada”, e complementou, “também vamos testar antenas e dispositivos 5G por ondas milimétricas”.

 

Ele comentou ainda que os testes permitirão o fornecimento de dados à Anatel para o estabelecimento de “requisitos e condições de uso de faixas de frequência, e para a regulação e outorga das redes privadas para uso industrial”. Essa fase do projeto tem duração prevista de sete meses.

 

Mais informações podem ser obtidas aqui. Confira também os nossos guias de equipamentos industriais fornecidos no Brasil como, por exemplo, digitalizadores ópticos 3D, indicados para trabalhos no ramo de plásticos, além de máquinas para a fabricação de peças por impressão 3D.


 

 

Foto: CPQD

 

Conteúdo relacionado:

Consórcio desenvolve equipamento para medição em nível nanométrico

Atualização de software para programação de robôs

 

 

#CPQD #ABDI #Anatel #WEG #Indústria40 #Plásticos

 




Mais Notícias PI



Pesquisa no setor de extrusão de plásticos mostra consequências positivas da pandemia

Levantamento apurou que 64,86% das companhias tiveram como reflexos da crise sanitária o aumento da produção, contratação de pessoal e novas parcerias, além de mais interesse pela modernização de seus parques fabris.

20/04/2021


Digitalização e negócios na indústria

Evento digital contará com a participação de especialistas que atuam em diferentes ramos.

20/04/2021


Companhia especializada em PU abre filial em Minas Gerais

Grupo Flexível inaugurou uma filial em Extrema (MG) a fim de melhorar seu atendimento presencial em todo território nacional.

19/04/2021