A ABB (Suécia/Suíça), com escritório em São Paulo (SP), editou um relatório que analisa a descarbonização da indústria do aço em âmbito mundial. O documento destaca que o setor está apostando em diferentes rotas tecnológicas para concretizar a descarbonização dos processos de produção do metal, a qual demanda 8% da energia mundial e gera até 9% das emissões de CO2.

 

As estratégias de descarbonização mais promissoras, de acordo com o estudo, são a adoção de hidrogênio verde na produção, eletrólise com eletricidade renovável e uso de minério beneficiado com maior teor de ferro, já presentes, inclusive, em grandes empresas do setor.

 

O documento aponta que a metalúrgica sueca SSAB já usa hidrogênio verde, eletricidade de origem renovável e minério de ferro de gradação superior para produzir aço sem carvão em seus altos-fornos.

 

O texto cita ainda o processo criado pela norte-americana Boston Metal para fundir óxidos por eletrólise, sem carvão, a partir de eletricidade de origem renovável. Relaciona também o método produtivo da indiana Tata Steel, que usa minério de ferro em pó em vez de coque, sinter e paletes para produzir ferro gusa, como avanço que resultou na queda de 20% das emissões no processo.

 

O documento da ABB ressalta, no entanto, que o aço verde vai demandar várias outras tecnologias, cujo desenvolvimento vai requerer investimento e colaboração de toda cadeia produtiva. O texto lembra também que a descarbonização vai ocorrer num cenário de forte demanda por aço, que vai crescer 30% até 2050, quando o setor ambiciona ser neutro em emissões. O relatório completo pode ser baixado aqui.


 

Imagem: ABB


 

Leia também:


 

Inspeção de aços com ajuda de inteligência artificial


 

Convênio para reaproveitar CO2 na produção de aços

 



Mais Notícias CCM



Cursos on-line do setor metalmecânico. Agenda começa em julho.

A ABM promove treinamentos cuja programação inclui conteúdo sobre estampagem, laminação, trefilação e aplicação de inteligência artificial (IA) em processos siderúrgicos.

15/07/2024


Conformação rotativa pode tornar viáveis as células a combustível

O Instituto Fraunhofer de Máquinas-Ferramenta e Tecnologia de Conformação (IWU) anunciou o desenvolvimento de um sistema rotativo para estampagem das finíssimas chapas metálicas usadas na montagem de placas bipolares que compõem as células a combustível. A novidade poderá reduzir os custos de produção dessas células, com impacto no mercado da mobilidade elétrica, tendo em vista que elas substituem as baterias.

15/07/2024


Prensas dobradeiras hidráulicas

Empresa brasileira comercializa prensas dobradeiras hidráulicas com força de 1.500 toneladas fabricadas em Portugal.

15/07/2024