A Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) divulgou em seu balanço mensal números que refletem a plena recuperação das atividades da indústria automobilística, à medida que vão se resolvendo as questões de abastecimento de componentes e semicondutores. As notícias são boas para as empresas de segmentos como estampagem ou corte e dobra de metais.

De acordo com o levantamento, a produção de veículos automotores em agosto bateu um novo recorde este ano, com 238 mil unidades, alta de 8,7% sobre julho e de 43,9% sobre agosto de 2021. Pela primeira vez o volume acumulado do ano superou o do mesmo período do ano anterior: 1,549 milhão, contra 1,479 milhão, um crescimento de 4,7%.

 

O segmento de ônibus vem sendo um dos destaques, com 20 mil unidades produzidas no ano, 50% a mais do que nos oito primeiros meses de 2021. Também chamaram a atenção as máquinas agrícolas, que continuam com desempenho relevante de vendas, e sobretudo as máquinas rodoviárias, com o melhor resultado histórico nos últimos meses.

 

“Em agosto, pela primeira vez em um ano e meio, conseguimos operar sem nenhuma fábrica completamente parada. O fluxo de semicondutores finalmente começa a melhorar, embora ainda estejamos passando por um período de restrições de oferta”, comemorou o Presidente da Anfavea, Márcio de Lima Leite.

 

O balanço mensal da entidade apresentou outros números animadores: as vendas em agosto totalizaram 209 mil unidades, melhor resultado dos últimos 19 meses. Foi a primeira vez no ano que esse indicador superou a barreira das 200 mil unidades. A média diária de 9,1 mil emplacamentos também foi a melhor do ano.

 

Bom desempenho em máquinas

 

A exportação de veículos também manteve forte viés de alta, de acordo com o levantamento. As quase 47 mil unidades enviadas a outros mercados representaram uma elevação de 11,7% sobre junho e de 59% sobre agosto de 2021. No acumulado do ano, o volume de 335 mil automóveis exportados superou com folga o dos anos anteriores, inclusive o de 2019, que antecedeu a pandemia.

 

As vendas de máquinas autopropulsadas estiveram também em um patamar bastante elevado. Em julho (último dado apurado) foram 9.130 unidades vendidas, ligeira queda de 3,4% sobre junho, mas com alta de 16,4% sobre julho de 2021. No acumulado do ano, o total de 59 mil máquinas agrícolas e rodoviárias vendidas supera em 26,5% o volume dos primeiros sete meses do ano anterior. Mereceram destaque as máquinas rodoviárias, que em junho e julho tiveram os melhores resultados da história, em consequência de elevados investimentos em infraestrutura.


 

Foto: Lenny Kuhne / Unsplash


 

Leia também:

 

Avanço do agronegócio aquece o setor de aços

 

Estímulo à construção de barcos pesqueiros




 

#Anfavea

#indústriaautomobilística



Mais Notícias CCM



Lecar não vai mais produzir automóveis elétricos. Agora, só híbridos.

Empresa brasileira vai redirecionar esforços antes dedicados à fabricação de carros elétricos para o desenvolvimento de veículos híbridos flex, com sistema de tração elétrico.

01/07/2024


BMW inaugura estamparia de última geração para produzir carros elétricos

Estamparia com equipamentos de última geração foi inaugurada na unidade norte-americana da montadora alemã, criando mais de 200 novos empregos em áreas técnicas e operacionais.

01/07/2024


WEG anuncia investimento de R$ 69,5 milhões em inovação

Com financiamento do BNDES no valor de R$ 58 bilhões, a WEG vai investir na atualização do parque fabril, em cinco frentes de desenvolvimento tecnológico.

01/07/2024