A britânica Huntingdon Fusion Techniques (HFT) aprimorou os equipamentos para monitorar a purga do gás inerte usado como atmosfera de proteção nos processos de soldagem, especialmente no setor de tubos. A linha PurgEye possui atualmente capacidade para medir teores de oxigênio residual na faixa de 1ppm (0,0001%).

 

Purgar a área de soldagem consiste em remover das proximidades da junta o oxigênio, o vapor de água e quaisquer outros gases ou vapores que possam ser prejudiciais à união. Esses gases podem se combinar com o metal e formar compostos indesejáveis que reduzem a resistência à corrosão ou promovem a formação de trincas e outros defeitos estruturais. Este fator é crítico especialmente na soldagem de materiais sensíveis como titânio, zircônio, níquel, aços inoxidáveis e aços de baixa liga contendo cromo.

 

A purga dos gases auxiliares se consolidou como um método para evitar a contaminação e, consequentemente, a oxidação da área de soldagem. A melhoria desse processo tem sido objeto de pesquisa e desenvolvimento por parte das empresas especializadas.

 

Dispositivo inflável para purga

 

A HFT criou um dispositivo inflável que, posicionado no interior do tubo, forma uma área protegida ao redor da linha de solda para aplicação do sistema de purga, o que contribui também para reduzir o volume de gás inerte aplicado no processo. Os dispositivos infláveis PurgElite e QuickPurge estão hoje disponíveis para tubos com diâmetros que vão de 1” (25 mm) até 88” (2.235 mm).

 

Os monitores atuam de forma conjunta, apontando dados sobre a evolução do processo de purga no interior desses bolsões. O apontamento desses dados permite o controle mais preciso do nível de oxigênio na atmosfera próxima à região soldada, tendo em vista a obtenção de soldas livres de oxidação.

 

Fotos: HFT


 

 

 

Conteúdo relacionado:

 

Soldagem robotizada em larga escala

Inteligência artifgicial permite o uso de dados na soldagem


#HFT

 



Mais Notícias CCM



Cuidados na operação de equipamentos a laser

Lesões oculares, de pele e inalação de gases são alguns riscos aos quais estão expostos os operadores de equipamentos a laser. Atentar para esses riscos, disponibilizar EPI’s e um ambiente que favoreça a proteção dos operadores é um dever das empresas que optam pela aquisição desses equipamentos.

21/04/2024


Célula robotizada de soldagem aumenta a produtividade da Tedesco

A Dalca Brasil desenvolveu uma célula para a Tedesco Sistemas de Armazenagem que aumentou em 30% a produtividade da linha de soldagem de perfis e longarinas.

22/03/2024


Robôs para soldagem estão disponíveis para comercialização

Foi lançada pela Kuka uma linha de robôs industriais que podem ser usados para a automatização da soldagem e de tarefas relacionadas.

07/03/2024