Uma pesquisa realizada por Plástico Industrial no setor de transformação de plásticos por injeção, para a atualização do guia de empresas que atuam nesta área, indicou que 54,17% das companhias que colaboraram com este levantamento estão usando tecnologia de manufatura aditiva (impressão 3D) no desenvolvimento de produtos. Este índice subiu 4 pontos percentuais em relação ao levantamento feito em 2022.


Além disso, 33,33% das empresas que contribuíram com informações para o estudo contam com robôs manipuladores em seus parques fabris, contra 26% registrados no ano passado. Dentre elas, 2% afirmaram que também possuem robôs colaborativos. Esses índices indicam claramente que a cadeia produtiva continua a se movimentar rumo à atualização do seu parque fabril.


Em se tratando do uso de células robotizadas de produção, que foi um dos tópicos da pesquisa realizada por Plástico Industrial, 10,42% das respondentes mencionaram que utilizam células deste tipo na integração e automatização de tarefas relacionadas à injeção. De acordo com elas, além de serem usadas para a extração de peças plásticas de moldes, é atribuída às células robotizadas a função de contagem e inspeção visual de itens diversos. Também foi mencionado pelas entrevistadas que as células são usadas em processos de soldagem de plásticos.



Tecnologias alinhadas à indústria 4.0

 

Sobre as tecnologias alinhadas aos conceitos de indústria 4.0 que já estão em uso no chão de fábrica das participantes da pesquisa, os mais mencionados por elas foram os recursos de computação em nuvem e sistemas automatizados que envolvem tanto robótica industrial quanto a integração entre sistemas MES (Manufacturing Execution System, ou sistema de gerenciamento de processos produtivos, em tradução livre) e ERP (Enterprise Resource Planning, ou, traduzindo para o português, Planejamento dos recursos da empresa).



Ainda no que tange à indústria 4.0, 20,26% das companhias entrevistadas informaram já ter em uso em seu ambiente de produção algum sistema de IoT – Internet das coisas – e de análise de Big Data. Por outro lado, um pequeno percentual das respondentes já conta com recursos de cibersegurança e sistemas de controle associados ao conceito de aprendizagem de máquina (Machine Learning) em seu parque fabril, o que também diz respeito ao uso de dispositivos vestíveis como, por exemplo, óculos de realidade virtual.



Intenção de investimento 

 

A maioria das empresas participantes da pesquisa (60,42% delas), afirmou que tem planos de investir em tecnologias alinhadas aos conceitos da indústria 4.0. Para isso, de acordo com o seu planejamento, elas pretendem direcionar 8,81% do seu faturamento, em média.


Questionadas sobre o prazo previsto para a compra de equipamentos e implementação de recursos no chão de fábrica, 66,66% das respondentes têm intenção de fazê-lo até nos próximos cinco anos, 28,57% entre sete e dez anos e 4,77% delas planejam atualizar suas fábricas pelos próximos doze anos.

 

 

Imagem: Freepik.

 

Leia também:

 

Tendências para o setor de embalagens flexíveis

 

Componel passa a usar inteligência artificial no seu chão de fábrica

 

Estudo sobre o reaproveitamento de poliuretano fundido/termofixo como carga

 

#PlásticoIndustrial #ArandaEditora #Pesquisa #Indústria40



Mais Notícias PI



Evento sobre materiais plásticos acontece em SP

Palestras técnicas sobre plásticos de engenharia e compostos termoplásticos serão realizadas na Feiplar & Feipur.

16/07/2024


Embalagens de transporte serão temas de curso on-line

O Instituto de Embalagens está promovendo um treinamento sobre embalagens de transporte, que segue com inscrições abertas.

16/07/2024


Quadro de bicicleta de plástico reciclado é lançado na Alemanha

A Igus e a Advanced Bikes desenvolveram um quadro de bicicleta fabricado por injeção. Ele é feito em uma peça única, sem soldas, e é composto por plásticos de alto desempenho reciclados e fibras de carbono.

16/07/2024