Adalberto Rezende, da redação.

 

 

A SEW Brasil está desenvolvendo pacotes de serviços customizados para empresas do ramo dos plásticos, o que abrange o monitoramento e a manutenção de redutores e/ou sistemas de acionamento para máquinas industriais como, por exemplo, extrusoras.

 

A companhia fabrica linhas de redutores, recomendados para equipamentos usados na transformação de resinas termoplásticas, bem como maquinário em geral, em sua planta fabril situada em Indaiatuba (SP), que é uma das filiais da matriz global na Alemanha.

 

No que tange aos pacotes de serviços oferecidos aos usuários de redutores, a empresa presta consultoria especializada, atua no desenvolvimento de projetos que envolvem engenharia, instalação de redutores e implantação de sistemas, monitoramento de processos, assistência técnica e muitos outros.

 

Já no que diz respeito aos redutores que compõem o portfólio de produtos da SEW indicados para o setor do plástico, o destaque vai para as séries X e FAZ, especialmente concebidos para linhas de extrusoras. Esses e outros equipamentos podem ser configurados conforme as necessidades dos clientes, incluindo a montagem de conjuntos de engrenagens especiais, eixos sob medida, sistema elétrico, bem como carenagens fabricadas em aço ou alumínio. 

 

Os clientes também podem consultar a companhia a respeito da disponibilidade de motoredutores e motores elétricos que podem ser usados em diversas aplicações no chão de fábrica, tais como acionamento de esteiras para movimentação de peças plásticas e de equipamentos complementares.

 

 

Investimento em novos equipamentos

 

Futuramente, a SEW vai instalar equipamentos para impressão 3D em sua planta fabril situada em Indaiatuba. Elas serão utilizadas, em um primeiro momento, para a fabricação de peças para uso interno, tais como garras para robôs e dispositivos que serão integrados ao maquinário já em operação no chão de fábrica.

 

A aquisição dos novos equipamentos é uma das primeiras etapas de um programa que tem como objetivo otimizar a configuração da fábrica. De acordo com Hiram Andreazza de Freitas, diretor industrial e de desenvolvimento de soluções da empresa no País, que forneceu informações à Plástico Industrial, o investimento em maquinário e na reconfiguração do parque fabril, que inclui a aquisição de equipamentos de usinagem, “chegará a R$ 600 milhões nos próximos anos”.

 

Sobre os futuros investimentos em impressão 3D, Hiram comentou que “a manufatura aditiva cumprirá um papel importante dentro da SEW, mesmo que ainda esteja em etapa de estudo para a implementação. No curto prazo, prevemos que o investimento neste tipo de tecnologia seja de cerca de 100 mil euros, aproximadamente R$ 560 mil”. 

 

 

Pensando no futuro

 

Além disso, o executivo prevê que serão investidos cerca de R$ 34 milhões nos setores de tratamento térmico, fabricação de motores e de controle da qualidade da companhia. Recentemente, o setor de desenvolvimento de equipamentos e sistemas para a indústria de manufatura da companhia foi dividido em duas partes; uma para o desenvolvimento de soluções para o dia a dia e outra voltada para a condução de projetos a médio e longo prazo.

 

 

A SEW será uma das empresas participantes do mais esperado encontro da cadeia do plástico, a Plástico Brasil, que acontece de 27 a 31 de março em São Paulo (SP). Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 0800-7700-496 e pelo e-mail hiram.freitas@sew.com.br. 


 

Imagens: SEW Brasil


 

Mais conteúdo:

 

Em todo lugar e ao mesmo tempo

 

Sistema fornece dados sobre materiais em tempo real

 

Extrusão direta de PVC rígido sem a produção de mistura seca

 

#SEWBrasil #PlásticoIndustrial #Redutores #Impressão3D



Mais Notícias PI



A Lecar não vai mais produzir carros elétricos, mas sim híbridos.

Montadora brasileira vai redirecionar esforços antes dedicados à fabricação de carros elétricos para o desenvolvimento de veículos híbridos flex, com sistema de tração elétrico.

01/07/2024


Empresas de extrusão buscam atualização tecnológica

Ênfase no atendimento ao setor de embalagens e interesse por tecnologias habilitadoras da indústria 4.0 são tendências entre as empresas que processam materiais plásticos usando o processo de extrusão.

01/07/2024


Consumo de PVC aumentou entre 2022 e 2023

Pesquisa do IBPVC e da MaxiQuim revelou que o consumo aparente de PVC no País, nos dois últimos anos, passou de 1.024 para 1.122 toneladas.

25/06/2024