A efetividade da reciclagem de materiais não depende somente da implementação de sistemas de coleta e/ou de pontos de descarte. Isso consiste também, como já está sendo feito no ramo de plásticos, na criação de frentes de trabalho fundamentadas na conscientização sobre a destinação correta de resíduos e na disseminação dos conceitos da economia circular. 

 

Relatório de sustentabilidade é disponibilizado gratuitamente pelo inpEV

Estes assuntos têm permeado o dia a dia da indústria no atual cenário decorrente da pandemia de Covid-19. Antes do surto, porém, as atividades do setor de reciclagem vinham caminhando para a obtenção de bons níveis de recuperação de materiais, especialmente no setor de recuperação de embalagens de defensivos agrícolas, como mostra o “Relatório de sustentabilidade 2019” elaborado pelo Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inpEV).

 

O trabalho contém dados a respeito do volume de embalagens e tampas plásticas usadas para acondicionar defensivos agrícolas encaminhado a empresas recicladoras após o término da vida útil delas por meio do programa de logística reversa e orientação sobre o descarte correto de produtos pós-uso denominado “Sistema campo limpo”, gerido pela instituição.

 

Os temas abordados no relatório estão divididos em seções sobre inovação tecnológica, que compreende o desenvolvimento de sistemas de rastreamento de embalagens; eficiência operacional, que trata de projetos voltados para a implementação de processos e maquinário que atendam aos requisitos alinhados com conceitos de sustentabilidade; e viabilidade econômica, que traz informações a respeito de investimentos direcionados à área de reciclagem de recipientes plásticos e o desempenho dos ativos envolvidos.

Além disso, há seções dedicadas a trabalhos realizados no campo de desenvolvimento humano e de educação e conscientização.

 

“Vamos comemorar mais um ano bem-sucedido graças à integração e empenho de todos os elos da cadeia agrícola como, por exemplo, agricultores, empresas, canais de distribuição e poder público”, disse João Cesar Rando, diretor-presidente do inpEV. Segundo informações da entidade, ao longo de 2019 mais de 45,5 mil toneladas de embalagens plásticas que acondicionaram defensivos agrícolas foram retiradas do meio ambiente por meio do programa mencionado.

 

A versão digital do relatório pode ser baixada gratuitamente aqui. Mais informações sobre programas de logística reversa e reciclagem de embalagens poliméricas podem ser obtidas no site o instituto.


 

Foto: inpEV


 

Conteúdo relacionado:

Recicladores de plásticos planejam investir em descontaminação

Resina biodegradável é desenvolvida no Brasil

 

#inpEV #Sistemacampolimpo #Defensivosagricolas #Reciclagem #Plásticos #Covid-19



Mais Notícias PI



Reciclagem de tampas plásticas movimenta negócios e trabalhos sociais

Programa socioambiental dá sequência à coleta e comercialização de tampas de embalagens feitas em termoplásticos durante a atual crise sanitária visando ampliar parcerias.

23/07/2020


Coalizão para a reciclagem de PP

Instituições e empresas dos Estados Unidos lançam movimento que visa aumentar os índices de reciclagem do polipropileno, material que ainda é pouco reaproveitado.

08/07/2020


Recicladores de plásticos planejam investir em descontaminação

Pesquisa realizada recentemente mostrou como as atividades no ramo de comercialização de resinas recicladas estão sendo impactadas pelas mudanças causadas pela pandemia da Covid-19. Também foi detectado um crescente interesse por equipamentos de descontaminação de resinas recicladas para torná-las adequadas ao uso para contato com alimentos.

30/06/2020