Uma recente pesquisa realizada pela Maxiquim entre abril de 2021 e abril de 2022 – a pedido da Associação Brasileira dos Distribuidores de Resinas Plásticas e Afins (Adirplast) –, mostrou os indicadores da distribuição de resinas commodities, plásticos de engenharia e de masterbatches no mercado brasileiro, em 2021.

 

De acordo com Laércio Gonçalves, presidente da associação, o propósito da pesquisa foi saber o posicionamento das resinas no mercado nacional, seu market share, além de entender se houve crescimento ou queda das vendas, entre outros fatores. O levantamento avaliou o desempenho do setor de varejo de resinas plásticas e outros produtos desse mercado considerando quatro segmentos: resinas termoplásticas, filmes de BOPP e BOPET, plásticos de engenharia e masterbatches.

 

O primeiro segmento, de resinas commodities como, por exemplo, polietilenos (PEs), polipropileno (PP) e poliestireno (PS), se manteve estável em 2021 com 720 mil toneladas, com leve incremento das importações em relação ao ano anterior.

 

A distribuição de filmes flexíveis de polipropileno biorientado (BOPP) e de poliéster biorientado (BOPET) também foi avaliada na pesquisa. Diferentemente das resinas commodities, este segmento demonstrou um recuo considerável nos volumes de vendas. No ano passado foram comercializadas 39 mil toneladas desses produtos, o que representa 18% a menos do que em 2020.

 

Já com relação ao varejo de plásticos de engenharia, no qual se enquadram polímeros como ABS, PA6, PA66, POM e PBT, por exemplo, o estudo mostrou um crescimento de 31% do volume de vendas em 2021, atingindo 52 mil toneladas comercializadas. “Este crescimento reflete uma importante retomada da economia interna, apesar dos problemas econômicos gerados pela pandemia, e demonstra uma pujança do setor em 2022. Ainda assim, é preciso lembrar que tivemos desafios causados pela escassez de algumas matérias-primas, além de componentes, como os eletrônicos, que prejudicaram a retomada da indústria automotiva e problemas logísticos com os fretes marítimos internacionais”, comentou Osvaldo Cruz, da Entec.

 

No que diz respeito ao mercado total de masterbatches, o estudo destaca que houve uma retomada do consumo dessas resinas em 2021. Ao todo, foram comercializadas 153 mil toneladas no ano passado, a um valor de R$ 2,1 milhões.

 

A pesquisa contou com diversas fontes, dentre elas, associados e não associados à organização. O estudo também levou em consideração a receita envolvida. O levantamento mostrou que, de forma geral, todos os segmentos experimentaram incrementos consideráveis de preços em função dos novos patamares de valores praticados em 2021. Em relação aos termoplásticos, os preços de 2021 foram, em média, 55% maiores do que no ano anterior. Já entre os plásticos de engenharia, os preços subiram em média 80%. “Falta de matéria-prima, dificuldades com a importação e frete alto são alguns fatores que resultaram no aumento de preços”, finalizou o presidente da entidade.

(Foto: jcomp, via Freepik)


 

Conteúdo relacionado:

Plataforma digital para monitoramento do chão de fábrica feita no Brasil

Poliamida com consultoria de mercado

#varejo #resinas #vendas 

 



Mais Notícias PI



Injetora híbrida com força de 1.800 kN

Arburg vai expor injetora híbrida e com menor consumo de energia.

23/07/2024


Fabricante de embalagens se prepara para possível nova seca em Manaus

Antevendo desafios logísticos, a Extrusa Pack vai estocar matéria-prima em suas unidades na região Sudeste e é parceira na implantação de um posto de distribuição no AM.

23/07/2024


Centro técnico da Engel passa a ser equipado com injetora de alta capacidade

A fabricante austríaca de injetoras ampliou o seu centro técnico com a instalação de uma injetora de 55.000 kN de força de fechamento, desenvolvida com foco nas necessidades da indústria automobilística.

23/07/2024