Pesquisadores da Universidade de Tecnologia e Design de Cingapura (SUTD), em colaboração com a Universidade Tecnológica Nanyang (NTU), desenvolveram um material multicamada que pode sofrer contração ou relaxamento controlado por aporte de calor.

 

O objetivo da pesquisa foi encontrar uma alternativa aos hidrogéis utilizados na chamada “impressão 4D”, termo que se refere à capacidade dos objetos plásticos impressos em 3D de mudar de forma ao longo do tempo, induzidos por calor ou por água, e de reverter essa mudança da sua forma original. De acordo com a SUTD, os materiais anteriormente utilizados, tais como o hidrogel, não possuem resistência mecânica, o que se torna uma limitação quando é necessário seu emprego em aplicações de suporte ou com carga.

 

Os pesquisadores utilizaram dois materiais que já estavam disponíveis e adaptados para a impressão 3D. O processo consistiu na expansão de um elastômero com etanol como substituição ao hidrogel. Quando aquecido, ocorreu a expansão volumétrica do material com etanol, que acabou mudando de forma. Após a secagem do etanol, se aplicado aquecimento novamente, o material volta à sua forma original devido à energia armazenada pelo elastômero. Veja o vídeo sobre esse desenvolvimento a seguir.

 

 

 

De acordo com a equipe, o elastômero desempenha uma função dupla: induzir estresse necessário no primeiro estágio e armazenar a energia elástica que atua durante o estágio de recuperação. Nos testes, esse processo de impressão reversível, ou impressão 4D, apresentou maior precisão no regresso à sua forma original se comparado com o alongamento ou indução manual utilizados em outros experimentos com materiais similares.

 

Segundo os pesquisadores, embora ainda seja um estudo recente, há a pretensão de aplicá-lo no futuro em produtos como cortinas que atuariam sozinhas para a regulagem da entrada de luz nos ambientes de acordo com a temperatura e umidade, o que contribuiria para economia de energia.



(Foto: SUTD Singapore University of Technology and Design)

#plastico #impressao4d #impressao3ddemateriaisativos

 

Conteúdo relacionado

Material “bio(inter)ativo” reage à umidade

Expansão de peças impressas em 3D

Impressão 3D multimaterial em alta velocidade

 



Mais Notícias PI



Programa reunirá projetos de inovação de pequenas e médias empresas

Iniciativa visa promover parcerias entre empresas brasileiras e estrangeiras para o desenvolvimento de tecnologia e processos para diversas áreas da indústria. Os interessados poderão apresentar suas propostas em unidades credenciadas até o final do mês de setembro.

09/06/2020


PP para impressão 3D industrial

A introdução de um grade industrial de polipropileno no portfólio de materiais da HP contribui para elevar a manufatura aditiva ao patamar de aliada das rotinas da indústria, acelerando a sua transformação digital.

04/06/2020


Expansão de peças impressas em 3D

Pesquisadores do departamento de nanoengenharia da UC San Diego, nos Estados Unidos, desenvolveram uma resina para o processo de impressão 3D capaz de expandir até 40 vezes após a impressão da peça.

27/05/2020