Uma equipe de pesquisadores do Massachusetts Institute of Technology (MIT) desenvolveu o bioLogic, um traje respirável com abas de ventilação impregnadas com células que proporcionam a abertura e fechamento em resposta ao calor e ao suor gerado pelo corpo de um atleta.

O projeto foi implementado em um tecido de látex com abas revestidas com células de E.Coli impregnas no tecido por meio de impressão celular de linhas paralelas, criando estruturas de duas camadas. A equipe expôs o tecido desenvolvido a condições alternadas de umidade e ele passou a interagir com o ambiente, encolhendo ou expandindo. Assim, essas células microbianas atuam como minúsculos sensores e atuadores abrindo as abas, por exemplo, quando um atleta transpira e fechando-as assim que o corpo esfria e não requerem elementos adicionais para responder à variação da umidade. Assista o vídeo sobre a reação do material:

 

BioLogic, um traje respirável com abas de ventilação feito de tecido de látex com abas revestidas com células de E.Coli

impregnas no tecido por meio de impressão celular de linhas paralelas (fonte:  Massachusetts Institute of Technology)

 

Os pesquisadores adaptaram o tamanho, bem como o grau de abertura de cada aba, com base em mapas previamente publicados de onde o corpo produz calor e suor. De acordo com o pesquisador e líder do projeto Wen Wang, após testes de 100 ciclos de secos/úmidos, o tecido não apresentou degradação ou redução de desempenho, em grande parte devido às propriedades do polímero empregado. As células microbianas possuem estirpe não-patogênica, ou seja, não oferecem risco ao ser humano e são aprovadas e seguras para o contato e até mesmo para consumo.

 

Além disso, os pesquisadores combinaram ferramentas funcionais às células sensíveis à umidade no tecido polimérico que poderão não somente contrair ou dilatar, em resposta a condições úmidas, mas poderão também acender (por meio de técnicas de fluorescência) e liberar odor. Essas características poderão permitir que as pessoas saibam que um atleta está correndo ou se exercitando no escuro. ao passo que liberam um cheiro agradável.

 

 

A equipe já aplicou o tecido “bio(inter)ativo” em um protótipo de um tênis de corrida com múltiplas abas na sola que atuam da mesma forma sob efeito da umidade. Assim, a equipe busca colaborar com empresas de roupas esportivas para comercializar seus projetos e está explorando outras possibilidades de uso, tais como em embalagens ativas sensíveis à umidade.

 

#tecidointeligente #impressacelular #biomateriais



Mais Notícias PI



Aditivo antimicrobiano para plásticos tem eficácia comprovada contra o novo coronavírus

Disponível no Brasil desde 2016 e fornecida na forma líquida ou em grânulos, a substância foi avaliada e teve sua eficácia comprovada em testes laboratoriais que apontaram a redução de mais de 99,84% do coronavírus presente nas superfícies dos plásticos analisados.

05/08/2020


Filme plástico antiembaçante facilita a comunicação

Desenvolvimento surgiu da demanda por máscaras faciais de proteção para pessoas com deficiência auditiva e que fazem leitura labial.

31/07/2020


Barreiras de proteção em PETG

Devido à sua alta transparência e resistência mecânica, o termoplástico PETG passou a ser usado na fabricação de paredes divisórias, mais uma oportunidade para empresas do ramo de plásticos.

30/07/2020