Embora os recursos de indústria 4.0 não aparentem estar muito consolidados no País, quase 60% das empresas constantes do guia de transformadores por extrusão, a ser publicado na próxima edição da revista Plástico Industrial, em versão digital e impressa, afirmaram possuir pelo menos um tipo de ferramenta que se enquadra nesse conceito. Dentre chamadas tecnologias facilitadoras da indústria 4.0 mais utilizadas entre as companhias estão a computação em nuvem, os sistemas MES integrados com ERP, a impressão 3D e a análise de big data do ambiente de produção.

 

De acordo com as empresas, a busca por informações sobre as tecnologias facilitadoras da indústria 4.0 é feita, principalmente, por meio de parceiros comerciais, consultorias especializadas e associações de classe, sendo que os dois principais fatores impeditivos para sua incorporação continuam sendo a falta de mão de obra capacitada e o alto custo. Entretanto, a tendência é que a adoção desses recursos aumente, uma vez que exatamente 50% das pesquisadas se mostraram interessadas em investir nesse tipo de tecnologia nos próximos cinco anos. O levantamento apurou que algumas empresas planejam até investir a expressiva fatia de 30% do seu faturamento nessa modernização. No entanto, em média, a porcentagem que elas pretendem destinar a esses processos de digitalização é de 7,7% dos seus faturamentos. Nada desprezível! 

 

A pesquisa mostrou ainda como está distribuída a porcentagem dos segmentos para os quais as empresas de extrusão mais fornecem produtos. O ranking apresenta a seguinte configuração: embalagens com 31,81%; construção civil com 13,87%; agroindústria com 11,28%; automobilístico com 5,87%; eletrodomésticos e linha branca com 4,21%; utilidades domésticas com 2,59%; brinquedos e lazer com 1,56%; e eletrônicos com 1,25%. Nessa apuração, a categoria de “outros” segmentos somou mais de 27% do total de produtos fornecidos e, de acordo com as respondentes, entram neste quesito setores como, por exemplo: médico-hospitalar; saneamento; materiais de escritório; automação industrial; moveleiro e de artigos para pets.

 

Quando perguntadas sobre como está sendo a retomada das atividades no pós-pandemia, cerca de 61% das empresas disseram que sua produção está no mesmo nível ou acima, em comparação ao pré-pandemia. Desde o último levantamento realizado, o consumo de resinas recicladas pelas empresas, que era de pouco mais que 47%, aumentou. Atualmente, cerca de 56,25% delas utilizam matéria-prima reciclada na produção de itens diversos, tais como embalagens, sacos para lixo, sacolas, eletrodutos, bisnagas, entre outros.

 

(Foto: usertrmk, via Freepik)



Mais Notícias PI



Centro técnico da Engel passa a ser equipado com injetora de alta capacidade

A fabricante austríaca de injetoras ampliou o seu centro técnico com a instalação de uma injetora de 55.000 kN de força de fechamento, desenvolvida com foco nas necessidades da indústria automobilística.

23/07/2024


Automação de baixo custo é o foco da nova unidade da Igus no Brasil

A empresa alemã inaugurou um centro de automação em Joinville (SC) para promover a disseminação do uso de sistemas robóticos em tarefas industriais.

05/07/2024


Empresas de extrusão buscam atualização tecnológica

Ênfase no atendimento ao setor de embalagens e interesse por tecnologias habilitadoras da indústria 4.0 são tendências entre as empresas que processam materiais plásticos usando o processo de extrusão.

01/07/2024