A Bio Elements, empresa de origem chilena desenvolvedora de resinas plásticas compostáveis e de origem renovável, está se instalando no Brasil com um modelo de negócio que enfatiza a aplicação imediata dessas resinas na moldagem de produtos.

 

Fundada em 2014 pelos sócios José Ignácio Parada e Juan Eduardo Joannon, a empresa desenvolveu a resina biobaseada Bio-E8, de origem renovável e biodegradável. Conforme o tipo de produto a ser moldado, ela pode receber a adição de poli(ácido láctico) (PLA) ou de poli(butileno adipato co-tereftalato) (PBAT). Todos são compostáveis por processo aeróbio, ou seja, na presença de oxigênio, e por biodegradação anaeróbia, ou seja, na ausência de oxigênio (tanto no modo termofílico como sob baixa temperatura).

 

Moldáveis principalmente pelos processos de extrusão e injeção, os materiais dão origem a produtos de uso diário que perdem sua massa naturalmente em até dois anos. Embalagens flexíveis e rígidas, tais como pouchs e sacolas para e-commerce, são os principais itens fabricados com a resina.

 

Parceria com convertedores

Mudar o paradigma atual da gestão de resíduos de maneira replicável para todos os tipos de indústrias era a principal proposta da empresa. Assim, a Bio Elements passou a desenvolver e capacitar parceiros do setor de transformação de plásticos que tivessem interesse em processar as suas resinas. O modelo já foi aplicado com cinco convertedoras no Chile, as quais estão produzindo embalagens biodegradáveis para marcas como Mercado Livre, a rede varejista local Linio, a rede de materiais para construção Sodimac e a Adidas.

 

Ao estabelecer o parceiro, a Bio Elements oferece assessoria para o desenvolvimento do produto final, realizando testes e acompanhando a entrada em operação da planta que irá processá-los.

O abastecimento de resina é assegurado pela unidade produtora da empresa, situada na cidade de Santiago, com capacidade atual de 1.200 toneladas mensais, a qual deverá subir para 2.500 em 2022.

 

A BioElements já possui escritório em São Paulo (SP), e também em países como Peru, Colômbia, México e Estados Unidos. Entre as diversas certificações que garantem o desempenho de seus produtos estão as fornecidas por instituições internacionais como a Diretoria de Pesquisas Científicas e Tecnológicas da Universidade Católica do Chile (DITUC), o Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação de Estruturas e Materiais da Universidade do Chile (IDIEM) e a Pontifícia Universidade Católica de Valparaíso (PUCV). No exterior, TUV (Áustria), UNAM (México), La Molina Agrarian University (Peru) e OWS (Bélgica) estudaram e certificaram seus bioprodutos. Mais recentemente, a empresa obteve também a certificação de segurança alimentar da agência norte-americana FDA (Food and Drugs Administration).

 

Empresas interessadas podem entrar em contato com a empresa pelo e-mail comercial@bioelementsla.com ou pela página no LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/bioelements-group/mycompany/

 

Fotos: Bio Elements
 

Conteúdo relacionado:

Embalagens de rejunte feitas com biopolímeros

Bioplásticos, um mercado em formação no Brasil


 

#BioElements #resinasbiodegradáveis #bioplásticos



Mais Notícias PI



Novos robôs manipuladores para o setor de plásticos

Empresa passará a fornecer no Brasil robôs manipuladores para o ambiente fabril das empresas que trabalham com injeção de plásticos.

19/05/2022


Injetoras verticais híbridas têm projeto ergonômico

Série de fabricante japonesa é voltada para a moldagem de peças compostas nos setores automobilístico e de eletroeletrônicos.

17/05/2022


Linha de filme reciclado é premiada internacionalmente

Empresa gaúcha foi premiada por organização internacional pela sua linha de plástico filme 100% reciclado, voltada a aplicações de alto desempenho.

17/05/2022