O descarte de embalagens plásticas usadas para acondicionar rejuntes é um desafio para os fornecedores de filmes poliméricos e para os que comercializam esse tipo de produto, que é muito demandado pelo ramo de construção civil.

Rejuntes fornecidos em embalagens biodegradáveis da marca Fortaleza

 

As embalagens de rejunte, ao final de seu uso comum – ao serem esvaziadas, por exemplo –, continuam contaminadas pelo fino pó do produto remanescente em suas paredes, o qual pode contribuir para a contaminação do solo e/ou da água.

 

E esses resíduos também podem impregnar tubulações e compartimentos que compõem sistemas de lavagem de plásticos em linhas de reciclagem, assim como contaminar blendas poliméricas caso não sejam totalmente removidos das superfícies das embalagens.

 

Um caminho possível para a resolução desses problemas seria a fabricação de embalagens para rejuntes a partir de materiais de fontes renováveis, as quais pudessem ser destinadas à compostagem ao invés de descartadas incorretamente.

 

Recipientes fabricados a partir de biopolímeros projetados para o acondicionamento de rejuntes, e que podem ser descartados em sistemas de compostagem, já existem. Um exemplo é uma linha de embalagens desenvolvida pela Bostik C&C Brasil (São Roque, SP) – empresa pertencente ao grupo francês Arkema – que passou a ser comercializada sob a marca Fortaleza (foto).

 

Segundo informações da companhia, os biopolímeros usados na fabricação das embalagens são provenientes de fontes renováveis como amido de milho e eucalipto. De acordo com Henrique Guedes, gerente de P&D da Bostik, as embalagens biodegradáveis são usadas para acondicionar uma série de rejuntes chamada “Rejunta acrílico”.

 

Ele deu mais detalhes sobre o produto: “O Rejunta Acrílico é o primeiro produto a receber este tipo de embalagem que contribui para um ciclo com redução do consumo de combustível e emissão de CO2 devido ao menor peso da carga. A intenção é que todos os produtos em pote da Fortaleza possam seguir este modelo de embalagem até 2023”.

 

Mais informações podem ser obtidas na página oficial da Bostik na internet.

 

Foto: Embalagem fabricada a partir de biopolímeros, indicada para descarte em sistemas de compostagem, passou a ser utilizada para o acondicionamento de uma linha de rejuntes comercializada no Brasil. Imagem: Bostik

 

#Arkema #Bostik #Biopolímeros #Reciclagem #Plásticos

 



Mais Notícias PI



Parceria promoverá a fabricação de telhas ecológicas

Mais de 500 toneladas de aparas industriais provenientes de embalagens serão usadas na produção de mais de 20 mil telhas.

27/06/2022


Filmes de BOPP aprovados para contato com alimentos

Fabricante brasileira de embalagens de polipropileno biorientado recebeu certificação internacional.

13/06/2022


Programa para qualificação de fornecedores de embalagens

Inscrições para fabricantes de embalagens plásticas para o segmento de HPPC vão até este mês.

13/06/2022