A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), anunciou que selecionará dois institutos de pesquisas brasileiros e investirá R$ 120 milhões, em cinco anos, para torná-los Centros de Competência em Hardware, chamados de CCH, para a indústria nacional. 

 

De acordo com a entidade, a qual é supervisionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), a proposta da criação dos novos centros é gerar e ampliar conhecimento no Brasil sobre plataformas de IoT (do inglês, internet of things, ou “internet das coisas”, em português) dos institutos selecionados.

 

Para Jorge Guimarães, diretor-presidente da Embrapii, “As plataformas de IoT são uma área high tech e estratégica para o crescimento econômico do País. Assim, aproveitar as oportunidades que são abertas para os novos produtos e serviços é crucial para promover a competitividade da indústria”.

 

No primeiro ano, os selecionados receberão R$ 40 milhões. Os recursos podem ser utilizados na capacitação de pesquisadores e no desenvolvimento de pesquisas básicas, ainda embrionárias, mas que permitam avançar no conhecimento para produzir as futuras soluções tecnológicas da indústria. Com o fortalecimento, os centros estarão aptos a desenvolver a solução completa de hardware, que inclui componentes físicos (como sensores e partes elétricas e mecânicas), dispositivos de comunicação, integração de sistemas, conectividade e segurança da informação.

 

Com isso, os envolvidos esperam atrair investimentos em inovação de empresas que queiram estimular a criação de start-ups capazes de criar soluções tecnológicas de hardware para diversos setores da economia, tais como 5G, telecomunicações, saúde ou agro.

 

Uma das estratégias do programa é fazer com que  empresas brasileiras se associem aos CCH, pagando uma quota de participação e, em contrapartida, recebam benefícios como: acompanhamento do direcionamento das pesquisas, conhecer em primeira mão as descobertas alcançadas, acesso a laboratórios, treinamentos de profissionais e acesso aos profissionais qualificados do centro para suporte no processo de inovação de acordo com sua estratégia empresarial.

 

Segundo José Luis Gordon, diretor de planejamento e relações institucionais da Embrapii, “O modelo de associação de empresas ainda é um instrumento pouco conhecido no Brasil, mas bastante usual em países que figuram nas principais posições no ranking de inovação, como os Estados Unidos. Os projetos de PD&I das associadas podem chegar na fase pré-comercial, etapa em que a tecnologia prova ser economicamente viável”.

 

A seleção é a primeira ação da Embrapii como gestora do Programa Prioritário Hardware BR, mecanismo utilizado por empresas beneficiadas pela Lei de TICs para cumprir suas obrigações financeiras de P&D em troca de incentivos fiscais. Mais informações sobre a iniciativa estão disponíveis no site da Embrapii.


 

(Foto: Freepik)

 

Conteúdo relacionado:

Novo instituto de pesquisa em IoT e indústria 4.0 em São Paulo

Rede de aceleração de projetos para indústria 4.0

#centrodepesquisa #centrodecompetenciaemhardware #industria40



Mais Notícias PI



Menos produtos descontinuados na indústria

Associação Brasileira de Automação (GS1 Brasil) apurou uma menor taxa de “descontinuação” de linhas de produtos na indústria, um sinal de recuperação das atividades.

26/05/2022


Impressora 3D é divulgada em feira

Equipamento conta com câmara ativamente aquecida e pode processar materiais como PA e PC.

24/05/2022


Mais aproveitamento na reciclagem de fios e cabos 

Empresa do ABC paulista desenvolveu maquinário que separa o material polimérico dos metais presentes em fios e cabos, garantindo, em alguns casos, 99,9% de pureza para o cobre obtido.

26/05/2022