A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), anunciou que selecionará dois institutos de pesquisas brasileiros e investirá R$ 120 milhões, em cinco anos, para torná-los Centros de Competência em Hardware, chamados de CCH, para a indústria nacional. 

 

De acordo com a entidade, a qual é supervisionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), a proposta da criação dos novos centros é gerar e ampliar conhecimento no Brasil sobre plataformas de IoT (do inglês, internet of things, ou “internet das coisas”, em português) dos institutos selecionados.

 

Para Jorge Guimarães, diretor-presidente da Embrapii, “As plataformas de IoT são uma área high tech e estratégica para o crescimento econômico do País. Assim, aproveitar as oportunidades que são abertas para os novos produtos e serviços é crucial para promover a competitividade da indústria”.

 

No primeiro ano, os selecionados receberão R$ 40 milhões. Os recursos podem ser utilizados na capacitação de pesquisadores e no desenvolvimento de pesquisas básicas, ainda embrionárias, mas que permitam avançar no conhecimento para produzir as futuras soluções tecnológicas da indústria. Com o fortalecimento, os centros estarão aptos a desenvolver a solução completa de hardware, que inclui componentes físicos (como sensores e partes elétricas e mecânicas), dispositivos de comunicação, integração de sistemas, conectividade e segurança da informação.

 

Com isso, os envolvidos esperam atrair investimentos em inovação de empresas que queiram estimular a criação de start-ups capazes de criar soluções tecnológicas de hardware para diversos setores da economia, tais como 5G, telecomunicações, saúde ou agro.

 

Uma das estratégias do programa é fazer com que  empresas brasileiras se associem aos CCH, pagando uma quota de participação e, em contrapartida, recebam benefícios como: acompanhamento do direcionamento das pesquisas, conhecer em primeira mão as descobertas alcançadas, acesso a laboratórios, treinamentos de profissionais e acesso aos profissionais qualificados do centro para suporte no processo de inovação de acordo com sua estratégia empresarial.

 

Segundo José Luis Gordon, diretor de planejamento e relações institucionais da Embrapii, “O modelo de associação de empresas ainda é um instrumento pouco conhecido no Brasil, mas bastante usual em países que figuram nas principais posições no ranking de inovação, como os Estados Unidos. Os projetos de PD&I das associadas podem chegar na fase pré-comercial, etapa em que a tecnologia prova ser economicamente viável”.

 

A seleção é a primeira ação da Embrapii como gestora do Programa Prioritário Hardware BR, mecanismo utilizado por empresas beneficiadas pela Lei de TICs para cumprir suas obrigações financeiras de P&D em troca de incentivos fiscais. Mais informações sobre a iniciativa estão disponíveis no site da Embrapii.


 

(Foto: Freepik)

 

Conteúdo relacionado:

Novo instituto de pesquisa em IoT e indústria 4.0 em São Paulo

Rede de aceleração de projetos para indústria 4.0

#centrodepesquisa #centrodecompetenciaemhardware #industria40



Mais Notícias PI



Lançamento para o ramo do plástico inclui plataforma digital e serviços

Empresa divulgou pacote de recursos digitais para conectividade no chão de fábrica a ser comercializado no Brasil.

21/01/2022


Projeto de inteligência artificial integra injetoras de diferentes fabricantes

Programa colaborativo entre plus10, SKZ e Sumitomo mostra como as máquinas injetoras de diferentes fabricantes podem aprender umas com as outras.

13/01/2022


Indústria 4.0: IoT reduz custo de manutenção em até 40%

De acordo com dados da consultoria Mckinsey, manutenção preditiva consegue reduzir o tempo de inatividade das máquinas em até 50% e aumentar a vida útil em 20 a 40%.

03/12/2021