Um consórcio formado entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), o Centro Universitário Facens e o Parque Tecnológico de Sorocaba (PTS) levou à criação de um centro de pesquisa voltado para as áreas de Internet of Things (IoT) e indústria 4.0.

Centro tecnológico em Sorocaba será voltado para projetos de digitalização da indústria

 

A nova unidade foi inaugurada recentemente no município de Sorocaba (SP) e recebeu o nome de “Centro de Referência IoT e Tecnologias 4.0 Facens-MCTI”. Ela faz parte de uma iniciativa que visa ao desenvolvimento de programas educacionais e de empreendedorismo a partir do uso de tecnologias de diversos tipos, o que pode incluir equipamentos de impressão 3D, robôs e sistemas digitais que conectem o chão de fábrica com ambientes virtuais, por exemplo.

 

Segundo informações transmitidas via comunicado à imprensa, esse projeto também tem como objetivo popularizar e intensificar a divulgação de trabalhos desenvolvidos nas mais diversas áreas da ciência a partir da criação de espaços para a realização de simulações de processos em alinhamento com o uso de sistemas conectados à IoT, incluindo pesquisas e desenvolvimento para áreas definidas como prioritárias conforme o Plano Nacional de Internet das Coisas.

 

“Enquanto o avanço das tecnologias vai tornando muitas tarefas mais eficientes e precisas, é necessário lembrar que precisamos criar empregos para as pessoas, alinhados a esse progresso. Nós não podemos parar a tecnologia para manter os postos de trabalho, mas podemos preparar e requalificar os profissionais, assim como formar as novas gerações já adaptadas para esse novo cenário”, comentou Marcos Pontes, ministro da ciência, tecnologia e inovações no MCTI.

 

Além disso, foi informado que o novo instituto vai operar de forma integrada a entidades do meio acadêmico, empresarial e também com órgãos que representam a comunidade local. “Nos sentimos muito honrados com esta parceria e sabemos que todas as pesquisas e ideias desenvolvidas neste centro nos darão mais oportunidades de trazer educação e desenvolvimento de projetos”, disse Regiane Relva, coordenadora-geral do laboratório Smart Campus Facens, que integra o centro universitário de mesmo nome.

 

Mais informações podem ser obtidas aqui. Conheça também diversos cursos da área de plásticos e acesse informações sobre equipamentos e serviços em nossos guias

 

Foto: Facens

 

Conteúdo relacionado:

Novo centro de pesquisa em plasticultura para o agronegócio

Tratamento superficial de moldes com laser e robôs

 

#MCTI #Facens #PTS #IoT #Indústria40 #PlásticoIndustrial 



Mais Notícias PI



Uma rede de produção para a impressão 3D

A EOS passou a gerir sua própria rede de parceiros em manufatura aditiva, que conecta empresas de diversos portes para produzir peças impressas em 3D em larga escala.

20/01/2022


Serviços de análise de fluidos para processos no ramo do plástico

Empresa oferece ensaios de lubrificantes e monitoramento de sistemas hidráulicos do chão de fábrica.

14/01/2022


Manufatura aditiva e resina reciclada: as tendências no segmento de sopro

Pesquisa no ramo de transformação de plásticos por sopro apontou que mais de 70% das empresas usam manufatura aditiva (impressão 3D) para complementar seus processos produtivos, e mais de 60% utilizam resinas recicladas para fabricar seus produtos.

06/12/2021