A fabricante de máquinas para dobrar arames Wafios (Alemanha), com subsidiária brasileira em São Paulo (SP), anunciou a formação de uma aliança com a também alemã Gehring, especializada em usinagem de precisão, visando à união de know how para a fabricação de estatores usados em veículos elétricos.

 

A parceria reúne décadas de experiência de Gehring no projeto de sistemas para produção em série de automóveis e a liderança tecnológica da Wafios no campo da tecnologia de conformação de arame.

 

O acordo começou a tomar corpo quando o grupo Nagel assumiu o controle da Gehring, no final de 2020, passando a promover a aproximação com a Wafios para implementar um conjunto de linhas de montagem de estatores que fornecerá para as montadoras em nível mundial, abrangendo desde a ideia de implantação das linhas até o seu comissionamento.

 

A cooperação entre as empresas simplifica o projeto dessas linhas ao oferecer os equipamentos para todas as etapas de produção a partir de uma única fonte. Assim, as OEMs passam a ter apenas uma pessoa de contato para toda a cadeia de processo.

 

O ritmo acelerado da produção de motores elétricos em larga escala é um desafio para os fabricantes de estatores, considerando-se os complexos processos de dobra de arame que eles exigem. “Dominamos essa complexidade e podemos oferecer soluções gerais eficientes, capazes de processar e preparadas para o futuro com base no know-how existente. O processo de dobra dá uma contribuição significativa para a qualidade: Tudo o que eu faço certo ou errado no início torna os processos posteriores mais fáceis ou mais difíceis”, explicou Tobias Single, chefe do setor de mobilidade elétrica da Wafios.

 

Desenvolvimento conjunto

O acordo de cooperação também abrange desenvolvimentos que visam melhorar o desempenho e a eficiência dos motores elétricos, com a participação de uma terceira empresa parceira, a Copaltec, ligada ao Grupo Nagel. Ela desenvolve resinas de poliuretano (PUR), as quais são introduzidas nos motores por processo a vácuo para protegê-los de influências externas e superaquecimento. "Isso pode aumentar o desempenho dos motores elétricos em até 20 por cento", disse Jochen Nahl, engenheiro consultor da Copaltec.

A bateria e o motor elétrico precisam ser resfriados ativamente. As resinas contribuem para manter o motor elétrico em um nível de temperatura mais baixo, o que melhora o seu desempenho.


Foto: Wafios
 

Conteúdo relacionado:

Construção leve baseada na união de materiais difrentes

Carros em alumínio: um estímulo à mobilidade elétrica

 

#wafios #Gehring #mobilidadeelétrica



Mais Notícias CCM



Sistema IoT permite monitorar consumo de energia elétrica de fábricas

Tecnologia consiste em sensores e hardware para coleta de dados, além de aplicativos e serviço de armazenamento em ambiente virtual.

17/05/2021


Parceria resulta no desenvolvimento de robô para inspeção de solda

Capaz de executar trajetórias complexas, robô para inspeção de linhas de solda é resultado do trabalho conjunto entre a indústria e órgão de fomento à pesquisa.

14/05/2021


Programa promove o desenvolvimento de aços de alta resistência com elevado grau de conformabilidade

Empresas brasileiras unem expertise para criar ligas de aço mais leves voltadas para a fabricação de veículos.

14/05/2021