Engajada na agenda da circularidade dos plásticos, a alemã Covestro prepara para a feira K uma exibição das tecnologias desenvolvidas recentemente para o mercado de reciclagem mecânica e química, áreas em qua a empresa tem hoje 20 projetos em andamento.

 

Entre os temas dos projetos anunciados durante a K Preview estão o design para a reciclagem, com o estudo de aspectos de projeto que favoreçam o reaproveitamento dos materiais ao final da vida do produto.

 

A reciclagem química, vista como o único meio de recuperação de determinados materiais, estará em foco, com destaque para o programa de reaproveitamento do poliuretano (PU) usado em colchões e em sistemas de isolamento (foto) e refrigeração, que já é de conhecimento do público do setor e foi batizado como Projeto Circular Foam, envolvendo hoje 22 parceiros industriais de nove países. Ele envolve a recuperação das duas matérias -primas utilizadas na produção do PU bicomponente: o poliol e uma amina usada como precursora do isocianato MDI.

Recentemente a empresa apresentou ao mercado brasileiro um colchão produzido em parceria com a Orbhes, fabricante local que utilizou material obtido a partir da tecnologia Triturn, da Covestro, a qual permite a reutilização do dióxido de carbono como matéria-prima para a produção de poliol. Com este poliol à base de CO2, chamado cardyon®, até 20% de matéria-prima fóssil pode ser substituída na produção.

 

Os poliuretanos termoplásticos (TPUs) também estão no escopo das propostas para a recuperação de materiais que serão expostas na feira Lonas de caminhão à base de TPUs da empresa, por exemplo, após reciclagem química, ganham vida nova em bolsas da marca suíça Feitag, que já prepara a produção em série de itens feitos com o material. Estes, ao final de sua vida útil, voltarão a se tornar lonas para caminhões. Já a parceria com a ReSlides (Estados Unidos) resultou em uma sandália de tiras feita de TPU e projetada para ser desmontada e reciclada.

 

A empresa revelou a criação de um portfólio de produtos identificados com o sufixo CQ, cuja característica será a “neutralidade climática”, ou seja, o seu desenvolvimento com a perspectiva de zero emissões de carbono durante a sua produção. Para alcançar este objetivo, a alemã vai lançar mão de todas as tecnologias de reciclagem química hoje disponíveis, incluindo pirólise, solvólise e quimiólise, todas baseadas na quebra das cadeias moleculares dos materiais para recomposição em novos produtos.

 

Foto: Covestro


 

Leia também:

 

Reciclagem de plásticos terá evento presencial em agosto

 

Reciclagem química sob demanda



 

#Covestro

#reciclagemdePU

 



Mais Notícias PI



A ciência como base na reciclagem de plásticos e borrachas

Fundada por pesquisadoras da área de materiais, a startup de base tecnológica IQX desenvolveu aditivos que tornam viável a reciclagem de materiais como borracha vulcanizada.

17/07/2024


Dow adquire a recicladora Circulus e aumenta a sua oferta de PCR

A aquisição da recicladora de polietileno Circulus vai adicionar 50 mil toneladas à oferta de materiais reciclados anualmente e faz parte da meta Transform the Waste 2030 da Dow.

02/07/2024


Empresas firmam acordo para estruturar redes de reciclagem

Gerenciar redes de reciclagem de resíduos gerados pela produção de cartões plásticos do Grupo UP no Brasil é o objetivo da eureciclo.

25/06/2024