Tendo em vista a missão mundial de reduzir as emissões de carbono e atingir melhores índices no que se refere à mobilidade sustentável, o Instituto Tecnológico del Plástico (Aimplas) – sediado na Espanha – coordena e administra um projeto que tem permitido desenvolver novas tecnologias e soluções de design eficiente para a redução do peso dos veículos.

 

Um novo projeto, chamado Recotrans, conta com o apoio de 13 parceiros de sete países e se baseia na concepção de novos compósitos termoplásticos desenvolvidos por meio da integração de microondas e soldagem a laser. Os pesquisadores obtiveram redução de custos e de consumo de energia elétrica na fabricação de três protótipos, além de confirmarem a viabilidade de reciclagem e processamento do material resultante.

 

O processo utilizando microondas pode ser usado para otimizar a cura de compósitos em moldagem por transferência de resina (RTM) e pultrusão, o que reduz o consumo de energia, encurta o tempo de fabricação e ajuda a produzir peças de melhor qualidade, ainda segundo o Aimplas. Durante o decorrer do projeto também foi demonstrado que a tecnologia a laser pode ser utilizada para obter juntas estáveis entre o material compósito e o metal, tornando possível dispensar juntas rebitadas, que aumentam o peso estrutural. Por fim, foram realizados estudos sobre a reciclabilidade do compósito termoplástico, utilizando-o para a fabricação de uma nova peça.

 

 

Como protótipos, foram desenvolvidos três componentes: uma peça de demonstração do sistema de suspensão traseira de uma cabine de caminhão, fabricada usando microondas no processo de RTM para dar origem a um compósito termoplástico com fibra de vidro, resina acrílica termoplástica e uma junta entre metal e compósito, feita por soldagem a laser; um painel de porta automotiva integrando microondas no processo c-RTM criando um compósito termoplástico à base de resina acrílica termoplástica reforçada com fibra de carbono; e um painel interno para a indústria ferroviária utilizando microondas junto com o processo de pultrusão para a confecção de compósitos também à base de resina acrílica termoplástica reforçada com fibras de vidro. A junção entre os compósitos e as peças metálicas foi realizada por meio da soldagem a laser.

 

Mais adiante, a reciclabilidade dos materiais foi validada por meio da fabricação de uma amostra de uma maçaneta de porta de carro feita com 50% de material reciclado, proveniente do projeto. Com seu término previsto para este ano, o instituto espera que o Recotrans possa ser aplicado em breve, tanto na indústria automotiva quanto em outros setores.

 

(Fotos: Aimplas)

#compositotermoplastico #materialcomposito #reciclagem

 

Conteúdo relacionado:

Mais de 100 empresas brasileiras assinam compromisso de combate às mudanças climáticas

Reciclagem levada em conta já na concepção do produto



Mais Notícias PI



Projeto usará embalagens de EPS na produção de peças para eletrodomésticos

Parceria que visa à fabricação de peças para refrigeradores usando embalagens de EPS pretende reaproveitar 200 toneladas de material pós-consumo até o próximo ano.

30/11/2021


ESG na prática no setor de plásticos

Optar pela desafiadora reciclagem de filmes flexíveis levou a Plastiweber a conceber novos produtos e aplicações para os laminados obtidos a partir de material pós-consumo.

30/11/2021


Nova paleta de cores para plásticos inspirada no Brasil

Catálogo de cores para o mercado brasileiro de plásticos foi elaborado a partir de estudo que contou com a colaboração de fornecedores de masterbatches e fabricantes de peças plásticas. As paletas são indicadas para utensílios domésticos, brinquedos e diversos itens.

26/11/2021