As megatendências CASE (acrônimo em inglês para Conectado, Autônomo Compartilhado e Elétrico) atualmente desequilibram a indústria automotiva: não só o veículo em si, mas também a experiência de dirigir está prestes a mudar.

Com a crescente autonomia do automóvel, os ocupantes do veículo tendem a se concentrar menos no trânsito e terão mais tempo para trabalhar, se divertir ou apenas relaxar. Como resultado desse desenvolvimento, o foco da atenção do cliente mudará do exterior do veículo, que dominou por décadas, para o seu interior.

Nos últimos anos, fabricantes e fornecedores de automóveis apresentaram um grande número de conceitos para interiores de veículos, incluindo a desenvolvedora japonesa de materiais poliméricos Asahi Kasei com o veículo-conceito AKXYTM. Mas como as necessidades do usuário estão realmente se desenvolvendo? O que os motoristas esperam do futuro do interior automotivo?

Em outubro de 2019, a Asahi Kasei Europe realizou uma sondagem junto com o instituto de pesquisa de mercado Skopos, de Colônia (Alemanha) e perguntou a um total de 1.200 usuários de automóveis na Alemanha, França, Itália e Grã-Bretanha sobre suas preferências para o interior automotivo do futuro.

Um resultado importante do estudo mostrou que a fidelidade à marca está em queda e é cada vez menos importante na decisão de compra de um carro. De acordo com a pesquisa, 18,3% dos participantes nos quatro mercados automotivos europeus mais importantes escolherão uma marca diferente ao comprar seu próximo veículo, enquanto 34,9% ainda estão indecisos. Assim, os fabricantes de automóveis precisam convencer mais da metade de todos os proprietários novamente.

Fatores que determinam a compra

 

Mas quais fatores realmente desempenham um papel importante do ponto de vista do usuário?

"Amor à primeira vista": durante décadas, o exterior foi o fator emocional decisivo na compra de um carro. Esta “emocionalização” está sendo agora gradualmente transferida para o interior do veículo. Parcialmente apoiado por tecnologias de acionamento emergentes e modelos de mobilidade, o interior do veículo está se tornando um fator cada vez mais importante, ao lado do exterior, tipo de combustível e consumo de combustível.

Ao comprar o carro atual, o interior (por exemplo, bancos, superfícies, etc.) foi importante para 54,8%, em comparação com 57,2% que prestaram mais atenção ao exterior. Na perspectiva da compra do próximo automóvel, a importância do interior aumenta cinco pontos percentuais (59,8%) e a do exterior quatro pontos percentuais (61,4%).

Heiko Rother, Gerente Geral de Desenvolvimento de Negócios Automotivos da Asahi Kasei Europe, ao comentar sobre a importância do interior do veículo, enfatizou: “As expectativas do cliente não mudam da noite para o dia, mas mudam muito mais rápido do que vimos no passado. Mais da metade dos compradores de automóveis na Europa estão prontos para mudar de marca. Isso é uma grande oportunidade para os OEMs conquistarem novos clientes usando tecnologias convincentes que tocam todos os sentidos e atendem às emoções e necessidades das pessoas."

 

Materiais de superfície sustentáveis e de alta qualidade

 

Como interface direta entre o veículo e o usuário, as superfícies no interior do veículo devem ser atraentes à vista e agradáveis ao toque. Além disso, são o aspecto determinante de como o usuário percebe o interior do veículo e também a experiência de dirigir. Um em cada dez participantes da pesquisa vê o mau acabamento dos materiais de superfície no interior como o maior incômodo em seu carro atual, enquanto 44,8% de todos os participantes veem uma vantagem em superfícies que aparentam ser e realmente são boas - por exemplo, para assentos, acessórios ou forros - em comparação com apenas 11,4% que não veem. Um terço de todos os participantes estaria disposto a pagar um preço razoável por essas superfícies de boa qualidade como item opcional.

Embora a palavra “apropriado” seja subjetiva, ela mostra a crescente importância das superfícies internas. Quando questionados sobre o material da superfície em si, 57% declararam acreditar que materiais sustentáveis para coberturas e superfícies de assentos se tornarão cada vez mais importantes nos próximos 5 a 10 anos, enquanto o couro legítimo se tornará menos importante da perspectiva dos participantes.

 

Superfícies higiênicas e absorção de som

 

Além da aparência, os resultados da pesquisa mostram uma necessidade crescente de superfícies internas com funções adicionais que melhorem a experiência geral de direção. Quando questionados sobre funções adicionais das coberturas e superfícies dos assentos, 49% de todos os participantes da pesquisa viram benefício nas propriedades antibacterianas.

Um olhar mais atento sobre a estrutura etária mostra que os motoristas com idades entre 18 e 39 anos veem um maior benefício das superfícies antibacterianas, especialmente em comparação com os participantes com mais de 59 anos. A mesma tendência pode ser observada em coberturas de assento e superfícies com propriedades inibidoras de odor: 49,3% por cento vêem um benefício nessas superfícies, que são particularmente valorizadas pelos usuários de automóveis com idades entre 18 e 39 anos.

Com a mudança na experiência de direção do carro, a percepção do ruído também mudará. Tendo em vista o automóvel do futuro, a supressão do ruído do motor será ainda mais importante. Embora vários materiais e tecnologias no interior do veículo possam resolver esse problema, as superfícies visíveis no interior também dão sua contribuição: 51,8% dos entrevistados vêem um benefício em coberturas e superfícies de assento com absorção de ruído, enquanto 35,9% por cento estão até inclinados a optar por essas superfícies, mesmo que isso envolva custos adicionais.

"À medida que o interior do veículo está se tornando cada vez mais o foco e um fator central de tomada de decisão no processo de compra, vemos um potencial considerável para diferenciar tecnologias que apelam aos sentidos dos ocupantes e atendem às mais altas demandas", concluiu Heiko Rother .




Fotos: Modelos de carros da Mercedes-Benz e Volkswagen, em cujos interiores foram usados materiais de acabamento da Asahi Kasei. O grupo de tecnologia japonês desenvolveu  37 soluções para a indústria automotiva em seu veículo-conceito. Fonte: Asahi Kasei.

 

#mobilidade
#AsahiKasei



Mais Notícias PI



Compensação ambiental para embalagens de margarina

Por meio de certificação, a linha de margarina Qualy, do grupo BRF, fará a compensação ambiental de todas as embalagens e potes de PP utilizados para acondicionar seu produto.

24/09/2021


EPS e sustentabilidade: o que precisamos saber?

Fatores importantes sobre a reciclagem do poliestireno expandido (EPS) e as possíveis aplicações desse material, também conhecido como “isopor”, na construção civil e em outros segmentos.

24/09/2021


Programa de reciclagem de copos plásticos no Sul

Será lançada nesta quinta-feira uma campanha socioambiental que abrange descarte correto e reciclagem de copos plásticos.

23/09/2021