A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou os resultados de um levantamento feito especialmente para avaliar o grau de adoção das tecnologias digitais pela indústria. Denominada “Sondagem Especial Indústria 4.0”, a pesquisa foi realizada com mais de mil empresas e revelou que a indústria brasileira avançou rumo à digitalização nos últimos cinco anos: em 2016 menos da metade (48%) fazia uso de alguma das tecnologias digitais analisadas; em 2021 esse percentual subiu para 69%.

O setor de usinagem, se considerado na classificação “Metalurgia”, não está entre os melhor posicionados no que se refere à digitalização. Porém, se considerado como presente no setor de “máquinas e equipamentos”, apresenta melhor posição, como mostra o gráfico abaixo, reproduzido do estudo da CNI (utilização por faixas de quantidade de tecnologias e por setor).



 

As tecnologias

 

O estudo se concentrou em 18 tipos de tecnologias digitais que caracterizam o ambiente da indústria 4.0 e o seu uso em diferentes estágios dos processos industriais (em 2016 eram 10 tecnologias listadas). São eles, resumidamente: automação digital com sensores; automação digital sem sensores (via CLP); automação digital com sensores e identificação de produtos; big data do processo produtivo; inspeção automatizada da qualidade; sistemas integrados de manufatura; monitoramento remoto via MES e SCADA; manufatura aditiva e robôs colaborativos; ferramentas digitais do tipo wearable (smart glasses, smart watches); inteligência artificial; sistemas integrados para desenvolvimento; prototipagem rápida, impressão 3D e similares; simulação via modelos virtuais; simulação de processo e gêmeos digitais; ferramentas digitais de relacionamento com o cliente; Internet das Coisas; big data sobre mercado e design assistido por inteligência artificial.

 

Falta de conhecimento e custo de implantação

 

Apesar do alto nível de adoção de pelo menos uma tecnologia digital, a maioria das empresas utiliza uma baixa variedade, indicando que se encontram em uma fase inicial do processo de digitalização. Ao todo, 31% ainda não adotaram qualquer tecnologia digital, 26% utilizam de uma a três das 18 listadas, e apenas 7% adotaram 10 ou mais delas.

Outra questão é o custo de implementação, apontado como principal barreira interna à adoção por 66% das empresas. Em seguida, vêm empatados a falta de conhecimento sobre as tecnologias, a clareza sobre o retorno que se pode obter delas e a estrutura e cultura da empresa.

 

Destaque para o setor automotivo

 

A pesquisa revelou que em 2021 69% das empresas utilizaram pelo menos uma tecnologia digital. O setor de equipamentos de informática e eletrônicos se destaca com 88% das empresas utilizando pelo menos uma tecnologia, entre as 18 avaliadas. Em seguida vem o setor de biocombustíveis (81%) e sabões, detergentes, produtos de limpeza, cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal (HPPC), com 80%.

 

“Apesar da diferença nas tecnologias listadas em 2016 e 2021, conseguimos afirmar que a sua adoção aumentou de cinco anos para cá. Isso fica evidente ao se analisarem os resultados produzidos a partir de uma subamostra formada pelas mesmas empresas respondentes em 2016 e 2021. Nesse grupo, a maioria que respondeu que não adotava, ou não sabia se adotava alguma tecnologia digital, passou a adotar pelo menos uma delas em 2021”, explicou Edson Velloso, gerente de Estatística da CNI.

 

Contudo, os setores que aparecem no topo do ranking não são necessariamente os que utilizam as tecnologias digitais mais intensamente. Ou seja, 35% das empresas do setor de veículos automotores, reboques e carrocerias utilizam pelo menos sete tecnologias digitais, enquanto no setor HPPC esse percentual cai para 8%. O setor de veículos automotores, reboques e carrocerias se destaca como o que utiliza o maior número de tecnologias digitais: aproximadamente 8% das empresas do setor utilizam 16 tecnologias ou mais, enquanto no setor de Químicos (exceto HPPC), que fica em segundo lugar, esse percentual é de 3%.

 

O estudo completo está disponível para download aqui.

 

Imagens: CNI
 

Leia também:

 

ERP industrial gerencia tarefas no ambiente de usinagem

Manufatura inteligente para pequenas empresas

 

#CNI #Tecnologiasdigitais #Industria4.0



Mais Notícias MM



Análise de partículas e sujidades em peças metálicas

Empresa passa a oferecer serviços empregando equipamento de análise estendida.

26/05/2022



Tornos brasileiros conquistam mercado internacional

Fabricante brasileira de tornos vive momento exportador e lança novos modelos de máquinas.

17/05/2022