A Associação de Soluções para Empresas de Manufatura (Manufacturing Enterprise Solutions Association, MESA) Internacional, com sede nos Estados Unidos, publicou um guia intitulado “A Low-Risk, Incremental Approach to Smart Manufacturing for Small & Medium Manufacturers” (Uma abordagem incremental e de baixo risco da manufatura inteligente para pequenas e médias indústrias de manufatura, em tradução livre).

 

O manual mostra como as PMEs do setor industrial, incluindo as do setor de usinagem de metais, estão implementando iniciativas de manufatura inteligente e percebendo não apenas os benefícios de maior transparência e produtividade, mas também os ganhos em nível de coordenação e velocidade dentro da empresa e da cadeia de suprimentos. O guia aborda cinco razões pelas quais as PMEs devem considerar as técnicas de fabricação inteligente:


 

1) Alcançar vantagem competitiva.

2) Tomar decisões com base em informação.

3) Manter uma única versão da verdade.

4) Mitigar riscos por escassez de mão de obra qualificada.

5) Melhorar suas margens de lucro.

 

Considerando que as PMEs podem ter recursos limitados, o documento sugere uma abordagem incremental e modular para a manufatura inteligente, com exemplos que incluem a coleta de dados em papel, o monitoramento da integridade da máquina, rastreamento de material, inspeção de qualidade, cadeia de suprimentos e interações com o cliente.

 

O estudo sugere que as PMEs podem pensar grande desenvolvendo um roteiro de manufatura inteligente, começando com pequenos projetos devidamente orçados e com escopo definido para obter benefícios em cada etapa, ao mesmo tempo em que avançam em direção ao estado planejado.

 

O guia traz exemplos relacionados à capacidade de implementar sistemas de manufatura inteligente e conectá-los diretamente à cadeia de suprimentos e ao fabricante do produto final, o que está se tornando um diferencial competitivo entre os fornecedores de nível 2 e nível 3.

 

Conforme divulgado pela MESA, as PMEs podem ser as verdadeiras vencedoras na corrida para concretizar a visão de manufatura inteligente, pois as grandes corporações podem ter mais dificuldade em transformar processos e dimensionar sua implementação em toda a empresa. Já as PMEs podem se beneficiar por serem “seguidores rápidos”, adotando tecnologia que foi comprovada pelos pioneiros a aderir a essas rotinas.

 

O número crescente de sensores, conectores, APIs (interfaces de programação de aplicativos) e plataformas de iIoT em nuvem disponíveis para encadear soluções em um nível de investimento mais baixo tornam mais rápida e prática a adoção das tecnologias facilitadoras da indústria 4.0.

 

A maior dificuldade para as empresas, no entanto, pode ser a falta de especialistas para ajudá-los a implementar essas estratégias de manufatura inteligente, razão pela qual o MESA montou o guia, com sua rede de consultores. O estudo completo custa US$ 99 e pode ser adquirido no link https://www.pathlms.com/mesa/courses/39290 , onde também pode ser baixada uma amostra gratuita do guia.


Foto: DepositPhotos

 

Leia também:

Porta-ferramentas reduz vibração da usinagem e diminui carga no fuso

Sistemas digitais para integração de máquinas e equipamentos de usinagem


 

#MESA  #manufaturainteligente

 



Mais Notícias MM



Retificação de médias e grandes séries de peças

Nova linha de retificadoras comporta rebolos de até 610 mm de diâmetro e tem a aplicação de fluído refrigerante modulada conforme o tipo de operação a ser realizada.

24/06/2022


Estudo prevê bom desempenho para o mercado de manufatura inteligente

Tecnologias habilitadoras e crescimento por regiões são temas do estudo de 320 páginas que projeta forte crescimento para o mercado de fabricação inteligente.

09/06/2022


Modelos de sensores industriais para linhas de usinagem

Companhia de Santa Catarina passa a fornecer sensores fabricados por empresa alemã.

08/06/2022