A CECIMO (Associação Europeia das Indústrias de Máquinas-Ferramenta e Tecnologias de Manufatura) aponta um cenário positivo para a produção de equipamentos de usinagem para este ano: o mercado deverá crescer 11,5% até o fim de dezembro, atingindo um valor de negociações de 22,5 bilhões de euros. No mesmo período, o consumo de produtos do setor terá aumentado 10,5%.

De acordo com a associação, as exportações e importações deverão aumentar 12% e 13%, respectivamente. Os países que mais realizaram vendas internacionais foram a Alemanha, a Itália e a Suíça, enquanto a China e os Estados Unidos assumiram o posto de principais mercados para o segmento fora da Europa. Os fornecedores mais importantes para as empresas locais foram o Japão, a China e Taiwan.

A CECIMO também estima que a melhoria nos negócios será ampliada no ano que vem. O nível de consumo chegará a 15,2% de aumento em relação a 2021, com destaques para os setores aeroespacial e de veículo motorizado e peças. Apesar do otimismo, a associação faz o alerta: a possibilidade de novas ondas de infecção de coronavírus na Europa e os gargalos ainda existentes na cadeia de abastecimento são fatores que podem atrapalhar o setor no futuro próximo.

 

#cecimo #mercadoeuropeu #maquinas #ferramentas #europa #economia #coronavirus

 



Mais Notícias MM



Alta da demanda por sucata metálica no Brasil

Dados divulgados pelo Inesfa mostram aumento do consumo de metais excedentes de processos de manufatura.

17/01/2022


Impressão 3D de metais conquista espaço na manufatura

Os processos de manufatura aditiva avançam como meio alternativo de fabricação de peças metálicas, em substituição a processos subtrativos como a usinagem.

17/01/2022


Matéria-prima: aço confirma forte crescimento no Brasil em 2021

Consumo aparente do material deve aumentar 24,3% em razão da retomada do mercado interno após a pandemia do coronavírus, segundo o Instituto Aço Brasil

07/12/2021