Os fabricantes de máquinas estão otimistas com o futuro do setor no Brasil. De acordo com pesquisa divulgada em fevereiro pela ABIMAQ, os empresários pretendem investir mais de R$ 6,7 bilhões este ano. O montante representa uma alta de 31,6% em relação ao volume investido em 2020, que atingiu R$ 5,1 bilhões – valor 32,8% menor do que foi previsto anteriormente. 

O levantamento revela que 36% dos investimentos esperados para este ano devem ser direcionados para o aumento da capacidade industrial, 34,2% para a modernização tecnológica, 21,9% para a reposição de maquinário depreciado e 8% em outras áreas. O objetivo, de acordo com os fabricantes ouvidos pela associação, é ampliar o parque industrial e os pontos de trabalho para atender ao aumento das encomendas. 

Outro número positivo indicado pelo estudo é que as grandes empresas estão mais dispostas a investir neste ano: o levantamento aponta que 59% querem realizar aportes no setor. Este desejo também é compartilhado por 41,3% das companhias de médio porte e 34,9% das micro e pequenas. Para que tais expectativas se concretizem, a ABIMAQ ressalta que o poder público precisa tomar atitudes como a redução da insegurança jurídica, da burocracia e do Custo Brasil, além da simplificação da carga tributária e a realização de uma campanha de vacinação em massa contra a Covid-19.



Mais Notícias MM



Aço bruto: produção registra aumento no início de 2021

Em janeiro e fevereiro, índice atingido foi superior ao de igual período do ano passado, mesmo resultado obtido por laminados, vendas internas, consumo aparente e importações

23/03/2021


Produção local: fabricante de serras investe em maquinário e contrata mão de obra

Unidade paulista da Starrett recebe R$ 40 milhões para se tornar única fornecedora de serras para demais unidades do grupo nos Estados Unidos, Escócia e China. Em entrevista à Máquinas e Metais, presidente considera que o cenário é de “otimismo cauteloso”

08/03/2021


Indústria alemã: máquinas-ferramenta terão demanda crescente, diz VDW

Associação local projeta crescimento de 6% neste ano, embora a pandemia do coronavírus ainda seja um grande problema

08/03/2021