Uma série de autômatos de seis eixos e que podem manipular peças e/ou componentes com peso de até 50 kg passou a ser fornecida no Brasil pela Yaskawa Motoman. Indicados para trabalhos em espaços fabris, eles apresentam repetibilidade de aproximadamente 0,01 mm, além de alcance horizontal de 927 a 2.061 mm e vertical de 2.511 a 3.649 mm.

 

A gama conta com os robôs da linha HC-10, os quais possuem braço oco feito de alumínio que consegue operar a até 1,2 m de distância da base do equipamento, e movimentar cargas que pesam 10 kg, bem como com os modelos da família GP, que são equipados com sistema de controle que inclui aparelho com tela sensível ao toque (touch screen). Ambos podem ser destinados à alimentação de máquinas injetoras, manipulação de produtos, remoção de rebarba e a operações de montagem, por exemplo. Segundo Márcio Garcia, diretor de engenharia de aplicação da empresa, os autômatos podem ser programados por meio de software ou controlados manualmente, assim como transmitir em tempo real dados provenientes das linhas de produção e alertas referentes à manutenção preventiva. Ele disse ainda que serão comercializadas versões que podem ser usadas para soldar plásticos por ultrassom e que os clientes contarão com assistência técnica e treinamento in loco.

 

Outra opção para os transformadores de plásticos é o robô MiR1000, desenvolvido pela Mobile Industrial Robots (Dinamarca). Ele tem autonomia para se locomover no chão de fábrica apresentando velocidade máxima de 1,2 m/s e é equipado com uma plataforma móvel capaz de processar cargas com peso de até 1 t.

 

Para se movimentar, utiliza dois escâneres a laser que atuam em uma área de 360 ° com a função de detectar obstáculos em tempo real. Possui ainda duas câmeras 3D que produzem um campo de pontos voltado à reprodução de objetos e sensores. Esses equipamentos fornecem dados para um algoritmo que também obtém informações sobre a área na qual o autômato está operando e a partir disso elabora planos de trabalho.

 

De acordo com Omar Bolaños, diretor de vendas da companhia que atua na América Latina, o robô pode ser controlado remotamente por meio de aparelhos de comunicação móvel e configurado conforme as necessidades dos clientes, o que inclui a integração de itens de segurança opcionais como, por exemplo, sistema de medição de velocidade nas rodas. A empresa oferece treinamento e serviços de assistência técnica em filiais instaladas em São Paulo (SP), Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ) e Manaus (AM).

 

#robos #manipulador #industria40 #plastic



Mais Notícias PI



Cresce o interesse em tecnologia digital

Estudo abordou os tipos de tecnologia digital que estão no radar da indústria de manufatura, e trouxe um panorama das áreas em que eles poderão ser usados.

06/08/2020


Vacinas contra Covid-19 serão envasadas em frascos plásticos

Empresa dos Estados Unidos contratou da alemã Zahoransky o fornecimento de linhas de fabricação no valor próximo de 25 milhões de euros. Elas vão executar a injeção, sopro, revestimento dos frascos, envase e gravação, de forma totalmente automatizada.

31/07/2020


Robôs aprendem a montar por tentativa e erro

A programação flexível de robôs é complexa no caso das tarefas de montagem. Por isso um projeto de pesquisa denominado Rob-aKademI propõe o uso de aprendizagem de máquina para torná-la mais fácil e autônoma, mudando a forma como os equipamentos “aprendem”.

22/07/2020