O relatório The Global Market for PP Compounds (O mercado global para compostos de PP), publicado este mês pela empresa de consultoria britânica para o setor de plásticos AMI Consulting, revela boas perspectivas para o mercado de compostos de polipropileno, apesar da desaceleração desencadeada pela Covid-19.

 

No meio automobilístico, a transição para veículos elétricos híbridos e elétricos, embora ameace algumas aplicações típicas do ambiente do motor a combustão, está criando novas oportunidades importantes para os compostos PP, relacionadas especialmente à redução de peso e gerenciamento de energia.

 

Grandes mudanças na cadeia de suprimentos dessa indústria estão acontecendo, com muitas empresas tradicionais enfrentando também ameaças decorrentes do avanço dos veículos elétricos, tendo de enfrentar concorrentes que constituem novos atores no cenário automotivo mundial, como a norte-americana Tesla. Nesses tempos incertos, os compostos de PP trazem como segurança para os fornecedores de materiais e para as empresas de transformação especializadas no seu processamento, com a possibilidade de continuar operando na fabricação de componentes com baixa densidade, mas que concorrem em igualdade de condições com materiais desenvolvidos para aplicações semi-estruturais.

O estudo segmenta o mercado por região, família de produtos e aplicação. Dentro do setor automobilístico, que é o maior mercado para compostos de PP, as aplicações são divididas em interiores, exteriores e sob o capô.

O relatório quantifica a demanda de composto PP por OEM (fabricante de peças originais), além de fornecer uma análise da estrutura de fornecimento da indústria e dos maiores produtores mundiais do material. Trata também da evolução da mudança estrutural na indústria e dos seus planos de investimento, revelando que grande parte dos aportes feitos mais recentemente pelos fornecedores desses compostos já antecipavam as tendências de fabricação de seus principais clientes.

 

Outra revelação do estudo é a queda do nível de atividade em 2019, alinhado com o enfraquecimento da demanda do mercado que se seguiu em 2020. Ele aponta, porém, que empresas como Borealis / Borouge, Celanese, GS Caltex, Kingfa, LyondellBasell, Advanced Composites, Mitsui, SABIC e Washington Penn têm planos de crescimento. Em 2019, a Ásia respondeu por 51% da demanda global do material, enquanto a Europa consumiu 26% e 23% tiveram como destino as Américas.

 

Esta é a quinta edição do estudo anual da AMI sobre a oferta e demanda global de compostos de PP. As primeiras quatro edições foram publicadas em 2014, 2015, 2016 e 2018. A AMI publicou também uma série de estudos específicos, incluindo um relatório chamado Mercado europeu de compostos de PP (2019) e outro chamado Mercado global de compostos de PP LFT (fibra longa), em 2017. Este relatório tem como objetivo auxiliar a cadeia envolvida na produção e uso desse material a prever mudanças, formular estratégias, direcionar investimentos em P&D e gerenciar cenários de ameaças e oportunidades.

 

Mais informações sobre os estudos podem ser solicitadas a John Nash, pelo e-mail john.nash@ami.international. Tel. +44 (0) 117 924 9442.

 

Figura: Mercado global para os compostos de PP. Fonte: AMI 

#compostosdePP

#AMIConsulting

 




Mais Notícias PI



Parceria evitará o descarte de resíduos plásticos em aterro sanitário

Acordo entre companhias prevê a triagem de resíduos plásticos domiciliares antes de seu descarte em aterro, reinserindo-os na indústria com o objetivo de estimular a economia circular.

30/10/2020


Estirênicos plenamente recicláveis

Trabalho conjunto entre a SCS e o Instituto Fraunhofer atestou a adequação do poliestireno reciclado para aplicações envolvendo o contato com alimentos.

29/10/2020


Aditivo à base de zinco protege superfícies plásticas

Empresa lança aditivo que impede a disseminação de vírus, bactérias e fungos em superfícies plásticas

27/10/2020