Acontece em São Paulo (SP), nos dias 27 e 28 de setembro, a 10ª edição do Congresso Internacional de Inovação da Indústria. As inscrições para participar presencialmente ou de forma virtual já estão abertas nesta quarta-feira e poderão ser feitas na página do evento.

 

O congresso é uma Iniciativa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), e foi idealizado pela Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), tendo como tema este ano a ecoinovação, que inclui tecnologias associando produtividade e redução de impacto ambiental.

 

Ao longo de dois dias, líderes empresariais, acadêmicos e autoridades, além de especialistas brasileiros e estrangeiros discutirão os impactos da transformação digital sob diferentes perspectivas, além de abordar quais estratégias os países e as empresas têm adotado para avançar na corrida tecnológica aliada à sustentabilidade.

 

O Brasil investe apenas 1,21% do PIB em pesquisa e desenvolvimento (P&D) e ocupa a 54ª colocação entre 132 países no Índice Global de Inovação, posição incompatível com o fato de ser uma das 10 maiores economias do planeta. Nações como Israel e Coreia do Sul, por exemplo, investem mais de 5% de seus respectivos PIBs em P&D.

 

Para este ano, a organização do evento confirmou a presença de especialistas renomados como a italiana Mariana Mazzucato, especialista em financiamento para inovação e professora de economia da Universidade de Sussex, na Inglaterra, além de autora de importantes livros sobre indústria e inovação. Dentre os patrocinadores confirmados estão 3M, ABDI, Embrapii, GM, Totvs, Turku University e Tuzzi.

 

O presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, afirma que a ecoinovação é fundamental para que as empresas se tornem mais competitivas e sustentáveis. “O Brasil precisa com urgência de uma política de longo prazo para a área de inovação aliada à agenda de sustentabilidade, com governança no alto escalão do governo e representatividade empresarial”, destaca.

 

O tema ecoinovação foi escolhido por ser uma tendência mundial que vem se consolidando e promovendo mudança nos modelos de negócios das empresas, tornando-se fundamental para a construção de novos parâmetros de sustentabilidade e competitividade para o setor industrial, no Brasil e no mundo.

 

De acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a ecoinovação pode ser definida como a inovação que resulta na redução do impacto ambiental, realizada intencionalmente ou não.

 

 

Imagem: promocional do evento

 

 

Leia também:

 

IoT no controle de embalagens do Grupo Boticário

 

Centro de capacitação em cibersegurança industrial agora em SP

 

#CNI

#Sebrae



Mais Notícias PI



Entidades do setor de plásticos anunciam parceria

Acordo entre a Adirplast, Abiplast e Abief visa organizar frentes de trabalho tendo em vista os desafios da indústria de transformação de plásticos.

27/02/2024


Caroços de azeitona dão origem a aditivos e cargas para plásticos

Entenda a proposta da BioPowder, do arquipélago de Malta, que desenvolve e comercializa pós de alto desempenho obtidos a partir de caroços de azeitona. Adicionados à formulação de masterbatches, eles podem conferir resistência mecânica, propriedades hidrofóbicas, redução de peso e diferentes apelos estéticos aos produtos plásticos.

27/02/2024


Do frasco ao solado. Garrafas PET transformadas em laminados para calçados.

Um volume de 17,3 milhões de garrafas PET recicladas foi convertido em matéria-prima para a fabricação de laminados para calçados, desenvolvidos no Brasil.

27/02/2024