As baterias são um elemento-chave para o desenvolvimento da mobilidade elétrica e por isso são objeto de muitos estudos e desenvolvimento tecnológico, a exemplo da recém-desenvolvida bateria Pure Performance, que apresenta uma placa sanduíche de alumínio e invólucro feito de resina epóxi reforçada com fibra de vidro, pelo processo SMC (sheet molding compound), oferecendo alta resistência à chama e desempenho ideal em colisões.

 

O produto é resultado da pesquisa levada a cabo por um consórcio formado em 2021 pelas empresas alemãs Lorenz Kunststofftechnik, Vestaro, Forward Engineering, Evonik Resource Efficiency, Lion Smart e Minth. Com base na experiência acumulada, o grupo projetou inicialmente uma cobertura de resina epóxi com fibra de vidro para baterias de alta tensão usando o agente de cura Vestalite, da Evonik, o que ocasionou a redução de peso da carcaça da bateria em quase 10 por cento em comparação com sistemas anteriores, conforme relatou Peter Ooms, diretor administrativo da Lorenz. “Além disso, os materiais SMC de última geração permitem que geometrias complexas sejam produzidas em uma etapa”, complementou.

 

Mais recentemente, as empresas parceiras criaram com sucesso uma nova geração de baterias de alto desempenho para eletromobilidade (fotos), combinando uma placa sanduíche em alumínio, desenvolvida pela mais recente integrante do consórcio, a Minth. Com esse conceito, o grupo conseguiu se livrar de elementos de deformação adicionais montados na lateral e usar o espaço liberado para as células de bateria, o que deu origem à Pure Performance Battery, validada pelo comportamento de impacto melhorado e pela redução do espaço necessário para a montagem do módulo. Isso permitiu aumento de 10 kWh em sua capacidade, que passou para 75 kWh com aproximadamente a mesma dimensão externa da bateria.

 

Design modular e a carcaça em epóxi melhoram o desempenho

 

A nova bateria dá liberdade para o projeto de uma variedade de arquiteturas para os veículos elétricos, permitindo a construção flexível dos módulos para abastecimento de energia. Sua cobertura feita em resina epóxi com fibra de vidro, além do baixo peso, oferece segurança muito alta em termos de resistência ao fogo e comportamento de colisão. A produtividade do processo também se destaca: mesmo na moldagem de geometrias complexas, foram obtidos tempos de ciclo de cerca de três minutos, o que sugere um alto potencial de economia de custos. A tampa também pode ser desmontada, por meio de várias conexões aparafusadas para facilitar o acesso aos módulos de bateria e equipamentos periféricos, ao contrário dos sistemas colados. A Lorenz desenvolveu também um processo de reciclagem dos componentes em epóxi.

 

Foto: Lorenz Kunststofftechnik

 

Conteúdo relacionado:

 

Plásticos serão essenciais na transição para a mobilidade elétrica

Mobilidade elétrica: novos grades de PPA voltados à inovação sustentável

Parceria para desenvolvimento de soluções em eletromobilidade


 

#BateriaPurePerformance #mobilidadeelétrica  #Lorenz

 



Mais Notícias PI



Evento sobre materiais plásticos acontece em SP

Palestras técnicas sobre plásticos de engenharia e compostos termoplásticos serão realizadas na Feiplar & Feipur.

16/07/2024


Embalagens de transporte serão temas de curso on-line

O Instituto de Embalagens está promovendo um treinamento sobre embalagens de transporte, que segue com inscrições abertas.

16/07/2024


Quadro de bicicleta de plástico reciclado é lançado na Alemanha

A Igus e a Advanced Bikes desenvolveram um quadro de bicicleta fabricado por injeção. Ele é feito em uma peça única, sem soldas, e é composto por plásticos de alto desempenho reciclados e fibras de carbono.

16/07/2024