A 3D Systems – fabricante de tecnologias para impressão 3D – oferece um novo método de impressão de peças, o qual permite a impressão empilhada de múltiplos componentes. As diversas versões de Figure 4, maquinário da empresa, tornam a produção 3D de itens plásticos mais viáveis em termos de aumento da produtividade, durabilidade, repetibilidade e menor custo total de operações se comparadas às outras impressoras.

 

 

De acordo com a empresa, com o avanço dos fotopolímeros utilizados em processos de impressão 3D agora é possível obter um aumento significativo na eficiência de construção e desafiar os métodos tradicionais. Isso pode ser alcançado por meio do empilhamento de peças de alta densidade utilizando a altura de construção das impressoras da linha Figure 4, aninhando de forma eficiente as peças e criando uma estrutura de suporte otimizada para permitir bons níveis de impressão em lote e facilitar o pós-processamento.

 

 

Segundo informações da 3D Systems, ao empilhar as peças é possível imprimir em lotes de cerca de 100 unidades, em 90 minutos, reduzindo em cerca de 80% o tempo necessário para preparar uma construção. A seguir é possível assistir um vídeo da companhia que exemplifica o modo de produção de peças empilhadas impressas tridimensionalmente:

 

 

O empilhamento de peças de alta densidade, viabilizado pelo software 3D Sprint, permite o aninhamento eficiente e uma estrutura de suporte esparsa que maximiza a impressão em nível de lote e minimiza os tempos de pós-processamento manual. As vantagens de seu uso se aplicam, por exemplo, a:

Alguns dos recursos dos suportes feitos no software incluem: uma superfície de contato perpendicular (A), um deslocamento para criar um entalhe para uma quebra fácil (B) e uma ponta esférica, como podem ser observados na imagem ao lado. Embora as escoras sejam geradas manualmente pelo usuário, elas são replicadas automaticamente após serem geradas para uma única peça e suas vizinhas. Essas estruturas apresentam tais características para serem fáceis de quebrar sem gerar grandes cicatrizes na peça. Os suportes também geram menos calor durante a impressão e têm mais resistência lateral do que os suportes usuais.

 

Um dos propósitos da técnica é a obtenção de peças isotrópicas e repetíveis em trabalhos em lote. A natureza isotrópica das peças obtidas por meio da tecnologia permite graus extras de liberdade na preparação e design de peças. Como resultado, as peças não precisam ser orientadas de uma maneira especial para alcançar as mais altas propriedades mecânicas – o que significa que elas podem ser empilhadas firmemente para máxima utilização de espaço e eficiência de volume.

 

Fotos: 3D Systems



Mais Notícias PI



Evento sobre materiais plásticos acontece em SP

Palestras técnicas sobre plásticos de engenharia e compostos termoplásticos serão realizadas na Feiplar & Feipur.

16/07/2024


Embalagens de transporte serão temas de curso on-line

O Instituto de Embalagens está promovendo um treinamento sobre embalagens de transporte, que segue com inscrições abertas.

16/07/2024


Quadro de bicicleta de plástico reciclado é lançado na Alemanha

A Igus e a Advanced Bikes desenvolveram um quadro de bicicleta fabricado por injeção. Ele é feito em uma peça única, sem soldas, e é composto por plásticos de alto desempenho reciclados e fibras de carbono.

16/07/2024